Violência doméstica: "Nunca mais vou esquecer a cara da minha filha quando me viu"

Armanda Inácio começou a sofrer às mãos do namorado em 2013. Fez várias queixas e, depois do processo ter ido a tribunal, o agressor foi condenado a quatro anos de pena suspensa e ficou proibido de se aproximar de Armanda e com vigilância eletrónica. Hoje, Armanda dá a cara por ela e por todas as vítimas de violência doméstica que não têm coragem ou não o podem fazer.