Pepa, treinador do Vitória de Guimarães, analisou na conferência de imprensa pós-jogo a derrota frente ao Benfica, por 3-1, em jogo da 7.ª jornada da Liga:

«A nossa primeira parte foi irreconhecível. Estivemos muito mal com bola, sem bola... A verdade é que mesmo assim conseguimos ter duas oportunidades de golo. Agora, deixámos o Benfica pensar, fomos pouco pressionantes, precipitados e estávamos a esconder-nos do jogo. Foi irreconhecível, mesmo.»

«Na segunda parte, podíamos continuar precipitados e perdidos, mas não. Entrámos muito bem. Tivemos mais qualidade, mais mobilidade. Na segunda parte estivemos por cima. O ingrato foi quando estávamos à procura de entrar no jogo, sofremos o 3-0. Pagámos muito caro a má primeira parte que fizemos. A frustração que fica é acabar o jogo e ficarmos com a sensação de darmos 45 minutos de avanço. Aquela primeira parte paga-se caro. Depois tentámos de tudo e acabámos por ser pouco felizes. Na primeira fomos castigados por tudo o que não fizemos de bom.»

«Na primeira parte fomos pouco pressionantes. Isso deu liberdade na construção para o Benfica decidir. Na segunda parte, com o Alfa mais subido, fomos mais pressionantes. Ganhámos mais bola no segundo terço do campo. Tivemos mais bola e ninguém se escondeu do jogo. Ficámos frustrados a incapacidade de ter bola. Sujeitámo-nos a perder várias bolas no corredor central. Não fomos capazes nem competentes. Tudo o que de mau podia acontecer, aconteceu na primeira parte. O Benfica foi muito competente. Quatro remates enquadrados e teve eficácia. Com 0-0 lembro-me de dois lances do Oscar Estupiñán. Houve personalidade na segunda parte para jogarmos aquilo que sabemos.»

Sérgio Pires / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães