Julio Velázquez, treinador do V. Setúbal, em declarações aos jornalistas após o jogo com o Rio Ave para a 28.ª jornada da Liga:

«Para mim, o momento determinante do jogo foi o empate. Foi um jogo difícil perante uma equipa de muita qualidade. Estávamos bem estruturados e compactos, a evitar que eles entrassem por dentro. Fizemos o mais difícil, que era adiantarmo-nos no marcador e depois sofremos o empate.

Somos uma das equipas que têm sofrido défice de concentração depois do período de isolamento. Aconteceu na primeira parte contra o Marítimo, aos 87 minutos contra o Santa Clara e no outro dia contra o Boavista.

Tenho de destacar o trabalho e o compromisso. Isso não falta. A equipa trabalha bem, tem compromisso, mas estamos com um défice de atenção depois do período de isolamento e isso está a custar-nos caro.

Depois, aconteceram duas situações que não são fáceis. Trocar o guarda-redes e estrear um deles, e ficar com um a menos durante quase toda a segunda parte. Não vi ainda o lance, mas acho que é uma bola dividida e não há intenção de fazer mal. Mas ficámos com um a menos, e equipa faz uma mudança e fica bem estruturada. Aguentou e sofreu o golo que sofreu.

Depois disso, voltámos a mudar, a equipa subiu e fizemos o mais difícil: com um a menos ter uma situação de golo.

Há que levantar a cabeça, continuar e focarmo-nos ao máximo. Manter o que de bom temos feito e corrigir os erros de concentração que nos têm custado caro. E esta equipa podia estar claramente com os pontos suficientes para a manutenção.»

[Como se corrige o défice de atenção?]

«Para mim, esse défice não se passa só na nossa equipa. Não em todas, mas em muitas. O Marítimo está a jogar pela vida e o primeir golo que sofreu ontem não foi normal. São situações particulares e acho que o contexto está está a influenciar mais umas equipas do que outras. E ao Vitória está. Porquê? Se eu soubesse… Vamos tentar corrigir isso.

Pelo trabalho que fazemos, por jogarmos sempre para ganhar, mesmo com o orçamento mais baixo, e com qualidade, podíamos ter perfeitamente 34 ou 35 pontos.»

David Marques / Estádio do Bonfim, Setúbal