Alec Baldwin matou, esta quinta-feira, ao que tudo indica acidentalmente, uma mulher durante as gravações de um filme, no estado do Novo México, nos Estados Unidos.

O ator efetuou alguns disparos - ainda não se sabe quantos - de uma arma que deveria ser um adereço do filme.

Baldwin já reagiu ao incidente no Twitter. O ator confessa "choque e tristeza" perante o "trágico acidente" e a colaborar com autoridades para perceber "como esta tragédia aconteceu".

A investigação já está a decorrer, não tendo sido feitas quaisquer acusações até ao momento.

Isto é o que se sabe até ao momento:

  • A vítima mortal é Halyna Hutchins, a diretora de fotografia do filme, de 42 anos. Ainda foi transportada de helicóptero para o hospital universitário do Novo México, mas não resistiu aos ferimentos

  • Os disparos de Alec Baldwin fizeram ainda um ferido: o realizador do filme, Joel Souza, de 48 anos. Foi transportado de ambulância e admitido na unidade de cuidados intensivos do centro médico Christus St. Vincent. Não foi divulgado o seu estado de saúde ou a gravidade dos ferimentos

  • As vítimas foram atingidas quando "Alec Baldwin disparou uma arma de fogo utilizada para as filmagens", segundo as primeiras informações relatadas pelas autoridades. A arma de fogo em causa é uma arma de adereço que não devia estar carregada

  • O acidente ocorreu durante a tarde (hora local) de quinta-feira, no rancho de Bonanza Creek, a sul de Santa Fé, onde estavam a ser filmadas várias cenas do western “Rust”, do qual Baldwin é co-produtor e protagonista

  • Até agora, não foram feitas quaisquer acusações. O gabinete do xerife de Santa Fé está a investigar e a interrogar as testemunhas. Segundo um comunicado, a investigação está "aberta e ativa"

  • Segundo o jornal local Santa Fe New Mexican, Alec Baldwin foi ao gabinete do xerife por sua própria vontade e fez um primeiro relato do sucedido às autoridades. O ator foi visto por este jornal “perturbado e em lágrimas” 

  • O Deadline cita uma fonte deste gabinete para avançar que Baldwin já foi interrogado e libertado pelas autoridades

  • Os advogados de Baldwin ainda não responderam às perguntas da imprensa. A revista People cita apenas um porta-voz do ator a dizer que se tratou de um “acidente”

A última publicação de Halyna Hutchins

A diretora de fotografia do filme "Rust", que morreu esta quinta-feira, atingida por um disparo de Alec Baldwin, mostrava parte das gravações nas suas redes sociais.

Há dois dias, na antevéspera do acidente fatal, Halyna Hutchins partilhou um vídeo, no instagram, a saudar o facto de poder andar a cavalo durante a gravação do western.

A diretora de fotografia de “Rust” nasceu na Ucrânia e cresceu numa base militar soviética. De acordo com o seu website, estudou jornalismo em Kiev e chegou a ser repórter de investigação.

Em 2015, já em Los Angeles, terminou o curso no American Film Institute e, já como diretora de fotografia, trabalhou em filmes como "Archenemy" (2020), "Blindfire" (2020) e "The Mad Hatter" (2021).

Noutra publicação, também na terça-feira, Halyna mostrava uma fotografia de toda a equipa que estava nas gravações, aparecendo ao lado de Alec Baldwin.

A produção do filme foi de imediato suspensa. Escrito e realizado por Joel Souza, "Rust" contaria a história de um marginal, Harland Rust, interpretado por Alec Baldwin, que vem em auxílio do neto, de 13 anos, condenado a ser enforcado por homicídio. 

Filho de Bruce Lee morreu assim

O ator Brandon Lee, filho de Bruce Lee, morreu, em 1993, num incidente semelhante, nuns estúdios em Washington DC.

Durante as filmagens do filme “O Corvo”, Brandon Lee também foi atingido fatalmente por disparos de uma arma de adereço.

O ator Michael Massee foi involuntariamente responsável pela morte do ator de 28 anos.

A página de Brandon no Twitter, que ainda é gerida pela família, enviou, esta sexta-feira, uma mensagem às vítimas envolvidas:

Catarina Pereira