Duas novas polémicas estão a agitar Hollywood e envolvem dois nomeados aos Óscares para melhor ator principal, depois de uma conhecida apresentadora norte-americana ter gozado, durante o seu programa, com o lábio leporino de Joaquin Phoenix, e de uma não menos famosa revista ter escrito que Antonio Banderas é um dos dois atores negros candidatos ao prémio.

Durante dez segundos, Wendy Williams gozou com a fenda labial do protagonista de "Joker", colocando o dedo sobre o próprio lábio e puxando-o para cima, causando o riso geral entre a plateia que assistia ao seu talk show.

Quando ele se barbeia fica com um espaço. Ele tem uma... como se chama...? Uma fenda labial ou fenda palatina", disse, ainda, a apresentadora, de 55 anos.

 

As reações não tardaram, de anónimos e conhecidos, entre os quais Cher, que não escondeu a indignação e afirmou, inclusive, que Wendy Williams devia ser despedida.

Muitas crianças e adolescentes sofrem com a sua aparência e desejam que um dia possam parecer normais. Os receios que os seus pais passam são também insuportáveis. Se a tua mãe visse o que fizeste teria vergonha. A minha mãe ensinou-me a amar e a ajudar as pessoas que estão em sofrimento. Quem pensas que és? Devias ser despedida", escreveu no Twitter a cantora e atriz Cher.

 

Wendy Williams não chegou a pedir desculpa a Joaquin Phoenix, mas desculpou-se perante a comunidade afetada por aquele defeito congénito, que, dependendo da sua gravidade, pode afetar, além da boca, a fala e os ouvidos. Um pedido que só chegou depois de um jogador de futebol americano, Adam Bighill, ter partilhado uma foto sua do seu filho, ambos com lábio leporino.

A cor de Banderas

Do protagonista de "Joker" para a estrela de "Dor e Glória", o ator espanhol Antonio Banderas foi considerado pela revista Vanity Fair e pelo site Deadline um dos dois atores negros nomeados para os Óscares - o outro, ou melhor outra, e única negra nomeada é a atriz britânica Cytinha Erivo.

"Antonio Banderas é o único ator de cor entre os nomeados pelo seu papel em 'Dor e Glória' de Pedro Almodóvar", escreveu a Deadline, um dos sites mais consultados sobre o que acontece em Hollywood.

As considerações acabariam por ser apagadas do Twitter, mas não foram as únicas.

A Vanity Fair foi mesmo mais longe na análise racial.

Apesar de os espanhóis não serem tecnicamente considerados pessoas de cor, é de sublinhar que Antonio Banderas foi nomeado pelo seu desempenho no drama Dor e Glória", escreveu a publicação.

Tal como Joaquin Phoenix, Antonio Banderas não reagiu aos comentários.

/ CM