A plataforma OLX garantiu esta quarta-feira que só registou dois casos de potencial burla usando a ‘app’ (aplicação) MB Way, depois de um alerta da PSP esta terça-feira, de acordo com um comunicado.

Desde logo percebemos que esta era uma preocupação partilhada”, disse o grupo, e por isso, “há algum tempo que estabelecemos uma parceria com a SIBS no sentido de lhes reportarmos qualquer tipo de suspeita de fraude por MB Way para que possam atuar de imediato e bloquear quaisquer ações do número de telemóvel em questão. E, até ao momento, apenas registámos e reportámos duas situações deste género”, garantiu a OLX.

O grupo indicou ainda que, além do contacto direto com a SIBS, “estes incidentes são também sempre reportados diretamente às autoridades portuguesas”.

Aliás, trabalhamos de perto com a PSP e a PJ [Polícia Judiciária] com o propósito de, em primeiro lugar, evitar estas situações ou, caso não seja possível, detetá-las rapidamente e permitir que estas possam agir em conformidade”, lê-se no comunicado.

O grupo garantiu ainda que continuará “a trabalhar de perto com as marcas e autoridades competentes para proporcionar a melhor experiência possível” aos utilizadores.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) alertou na terça-feira para um aumento de ocorrências relacionadas com burlas através do MB Way, tendo registado entre janeiro e maio deste ano 135 queixas, e recomendou cuidados no uso desta aplicação.

De acordo com os dados avançados pela PSP, em 2018 foram registadas 99 ocorrências relacionadas com burlas através do MB Way e entre 01 de janeiro e 31 de maio 135.

No mesmo dia, a SIBS, responsável pelo Multibanco e pelo MB Way, afirmou que "mantém uma relação estreita com as autoridades" relativamente às burlas ocorridas com recurso àquela 'app', mas não revelou dados concretos devido ao segredo de justiça.

As burlas ou fraudes com serviços legítimos e fidedignos, como é o caso do serviço MB Way, são fundamentalmente um problema de segurança pública, pelo que a SIBS mantém uma relação estreita com as autoridades com vista a ajudar a prevenir e/ou a identificar estas atividades", pode ler-se num comunicado enviado pela SIBS às redações.

A empresa que gere a rede Multibanco adiantou ainda que "os dados inerentes à ocorrência destes incidentes estão em segredo de justiça, pelo que não podem ser revelados".

"Todos os serviços SIBS têm sistemas de monitorização e deteção de fraude contínua e permanente, com vista a reduzir ou a identificar a ocorrência de situações criminosas", assegurou a SIBS.