Os apoios aos setores da economia mais afetados pela pandemia de covid-19 vão manter-se até ao fim do processo de desconfinamento, que não avança esta semana, anunciou esta quinta-feira a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

“Relativamente aos apoios económicos, aquilo que queria dizer é que, naturalmente, esta decisão que hoje tomamos [de não avançar no desconfinamento] significa que se vão manter os apoios aos setores mais afetados, que estão neste momento em curso e que tinham uma data prevista que acompanhava o fim do processo de desconfinamento. Uma vez que ele ainda não ocorreu, os apoios vão manter-se”, esclareceu a ministra da Presidência, em conferência de imprensa, no final da reunião do Conselho de Ministros, em Lisboa.

Os apoios serão prolongados em termos que o senhor ministro da economia anunciará”, acrescentou.

A ministra da Presidência anunciou que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento em Portugal, tendo em conta que o país se encontra “claramente na zona vermelha” da matriz de risco de controlo da pandemia.

“Portugal encontra-se, neste momento, claramente na zona vermelha da nossa matriz, pelo que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento que estava previsto”, afirmou Mariana Vieira da Silva, no final do Conselho de Ministros.

Segundo disse, a incidência de novos casos de infeção por cem mil habitantes está, atualmente, nos 129,6 e o índice de transmissibilidade do vírus (Rt) nos 1,18 no território continental.

/ AG