O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou que a sua filha, Sara Duterte-Carpio, vai concorrer às eleições presidenciais de 2022.

Duterte, que no sábado prometeu abandonar a política uma vez terminado o seu mandato, confirmou oficiosamente a candidatura da sua filha depois de ter anunciado inesperadamente a decisão de não se candidatar a vice-presidente apesar de ter confirmado no início de setembro que se candidataria ao cargo.

Acompanhou o senador Bong Go, um dos mais próximos amigos políticos de Duterte, à Comissão de Eleições no sábado para que esta formalizasse a sua candidatura a vice-presidente para substituir o presidente em exercício.

Após o evento e numa breve declaração à ABS-CBN, Duterte disse que a dupla "Sara-Go" será a candidata do seu partido PDP-Laban à presidência e vice-presidência.

Sara Duterte-Carpio, a atual presidente da câmara da cidade de Davao, apresentou no sábado documentos rumo à reeleição, embora ainda possa mudar a sua candidatura e candidatar-se à presidência.

A Comissão Eleitoral começou na sexta-feira a registar candidatos para participar nas eleições previstas para maio, que irão eleger diretamente o novo presidente - para um único mandato de seis anos -, o vice-presidente - um cargo praticamente cerimonial - e vários senadores.

Os candidatos têm até 8 de outubro para se registarem, embora as alterações às listas sejam permitidas até 15 de Novembro.

Duterte-Carpio, que as sondagens mostram ser a política com mais apoio caso decida candidatar-se ao cargo de Chefe de Estado, anteriormente tinha prometido que não se candidataria a um cargo nacional se o seu pai também concorresse às eleições.

Outros candidatos presidenciais incluem o ex-pugilista filipino Manny Pacquioo, o ator-político virou ator e o atual presidente da câmara de Manila, Francisco Domagoso, e o ex-chefe da polícia Panfilo Lacson.

/ CM