Uma assistente de bordo do avião que se incendiou, no domingo, numa aterragem de emergência no aeroporto de Sheremetyevo, em Moscovo, relatou os momentos de horror e aflição enquanto salvava dezenas de pessoas.

Dos 78 passageiros a bordo do Sukhoi Superjet-100, 41 morreram, e 37 conseguiram salvar-se. No entanto, para estas 37 pessoas conseguirem escapar com vida das chamas, foi precisa a ajuda de uma assistente de bordo.

Tatyana Kasatkina, de 34 anos, contou como é que abriu a porta da aeronave e foi encaminhando os passageiros para a zona de emergência em segurança. A hospedeira de bordo afirma que o processo de evacuação começou mal o avião aterrou.

O fogo era visível. Toda a gente estava a gritar que estávamos a arder”, releva Tatyana.

 

Mas, nesse momento, não existia fogo dentro da cabine. Eu dei um pontapé na porta (para a abrir) e fui empurrando os passageiros para não atrasar a evacuação”, acrescenta.

Tatyana afirma que aconteceu tudo muito rápido e que a cabine foi tomada pelo intenso fumo negro. Disse ainda que as últimas pessoas a sair do avião já se arrastavam pelo chão.

Segundo o relato desta hospedeira, momentos depois da descolagem, caiu uma forte chuva de granizo e que logo de seguida se ouviu um barulho no exterior.

Ouviu-se um barulho grande lá fora, assim que fomos atingidos pelo granizo (…) ouviu-se um estoiro seguido de uma luz”.

Isto vai de acordo com a agência Ria Novosti, que apontava como causa do incêndio um mau funcionamento elétrico. O avião da companhia Aeroflot incendiou-se, no domingo, durante uma aterragem de emergência no aeroporto de Sheremetyovo, em Moscovo, na Rússia.

A bordo do aparelho seguiam 73 passageiros e cinco elementos da tripulação. Apenas 37 conseguiram salvar-se das chamas.

De acordo com a BBC, um assistente de bordo morreu, enquanto tentava ajudar os passageiros a escaparem do avião em chamas, pela saída de emergência na traseira da aeronave. O seu nome era Maxim Moiseyev e tinha apenas 22 anos. Segundo a rádio russa “Moskva FM”, “lutou até ao fim, na ponta do avião, enquanto tentava abrir a porta da saída de emergência”.

Muitos passageiros que conseguiram escapar, garantem que só estão vivos por causa dos esforços da tripulação.

Eu agradeço a Deus e às assistentes de bordo que me salvaram”, contou Dmitry Khlebnikov, um dos sobreviventes da tragédia. “Elas estiveram sempre connosco, a ajudar as pessoas a saltar e a sair da cabine cheia de fumo”

Segundo a agência Ria Novosti, o avião de passageiros fazia a rota entre Moscovo e Murmansk (norte da Rússia) e um mau funcionamento elétrico pode ser a causa do incêndio durante o voo.