A polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu, esta terça-feira, o ex-polícia militar Renato Nascimento Santos, suspeito de estar no carro que transportava o assassino da vereadora e ativista dos direitos humanos Marielle Franco.

A informação foi veiculada pelo portal de notícias G1 e acrescenta que o antigo polícia militar é apontado como integrante da milícia de Orlando Curicica, suspeita de ser o mandante da morte de Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes. Orlando Curicica, que está preso, diz ser inocente e afirma que foi forçado a assumir a autoria do crime.

Marielle Franco foi morta numa ação com características de execução a 14 de março, na cidade brasileira do Rio de Janeiro, após sair de um evento com mulheres negras, numa favela. Foi atingida com quatro tiros na cabeça, quando seguia num veículo. As balas que a mataram pertenciam a um lote da polícia.

A ativista foi alvejada dentro do carro com diversos disparos que também atingiram o motorista Anderson Gomes, que veio a falecer. 

A vereadora da Câmara Municipal do Rio de Janeiro era militante do Partido Socialismo e Liberdade (esquerda).

Um dia antes de falecer, Marielle deixou uma pergunta a propósito da onda de violência que assolava - e assola - o Brasil: "Quantos mais têm de morrer?". Sem saber que lhe iriam tirar a própria vida, aos 38 anos, em pleno centro da cidade, aos tiros.