Não foi reivindicado até ao momento o ataque em Lyon, França, que na sexta-feira fez 13 feridos ligeiros. Segundo o procurador da secção anti-terrorismo francesa, Remy Heitz, que este sábado falou à imprensa, o alegado autor do atentado continua em fuga. 

As autoridades ainda não conseguiram identificar o suspeito, que estava a usar óculos escuros e um boné no momento em que a sua imagem foi captada pelas câmaras de vigilância no local. 

Remy Heitz precisou que a explosão aconteceu às 17:28 de sexta-feira e que o pacote armadilhado, colocado num saco de papel, continha pilhas, parafusos e esferas de metal. Os investigadores conseguiram traçar os movimentos do suspeito até às 17:20, minutos antes do ataque, mas perderam-lhe o rasto a partir desse minuto.  "Todos os meios" foram mobilizados "para o deter rapidamente", disse o procurador. "Novas fotografias do indivíduo serão em breve difundidas", garantiu. 

A explosão aconteceu no centro de Lyon, numa rua pedonal. Há uma criança entre os feridos, que não sofreram ferimentos graves. Alguns deverão ainda ser submetidos a intervenções cirúrgicas para lhes serem retirados os estilhaços.