Três pessoas morreram e, pelo menos, doze ficaram feridas, na sequência de um tiroteio ocorrido cerca das 20:00 locais (19:00 em Lisboa), em Estrasburgo, cidade do nordeste de França. Um balanço feito pelo ministro do Interior, Christophe Castaner, numa declaração à imprensa, sem direito a perguntas, cerca das 02:30 locais (01:30 em Lisboa). 

O número de mortos têm sido atualizado de forma muito incerta pelas autoridades. Cerca de uma hora antes deste balanço avançado por Castaner, o presidente da Câmara de Estrasburgo, Roland Ries, tinha dado como certa a morte de quatro pessoas e outras dez feridas. 

Ao início da noite, um comunicado da autarquia avançava que os disparos tinham sido feitos na rua Orfèvres, perto do tradicional mercado de Natal. o atirador se pôs em fuga, sendo procurado pela polícia que isolou a zona. Antes terá sido ferido pelos militares que patrulhavam a zona, avança o Le Figaro.

Suspeito é um francês de 29 anos

Os meios de comunicação franceses avançam que o suspeito é um homem de 29 anos, nascido em Estrasburgo, mas de ascendência marroquina. Estava já referenciado pela polícia. Terá escapado, na manhã desta terça-feira, a uma rusga policial. Quando os elementos da Gendarmerie chegaram a sua casa, supostamente no âmbito de uma investigação de homicídio, o homem não estava. 

O suspeito é um delinquente multireincidente. Christophe Castaner avançou que foi condenado na Alemanha e em França por crimes de delito comum. "Ele cumpriu sentenças", disse o ministro do Interior. 

  • Acompanhe AO MINUTO todos os desenvolvimentos

O jornal Le Figaro avança que está em curso uma segunda operação, na zona de Broglie.

Há suspeitas de uma segunda pessoa", implicada no tiroteio. 

Também de acordo com a agência noticiosa Reuters, com base em fontes policiais, o atirador é conhecido da polícia, devido aos seus antecedentes criminais relacionados com delitos comuns. Ainda assim, a hipótese de acto terrorista não foi ainda descaratada pelas autoridades.

A autarquia da cidade do nordeste de França, bem como as autoridades, apelam à população para se manter em casa.

Populares que estavam em locais públicos como restaurantes, cinemas e teatros ficaram retidos. Aconteceu isso mesmo com um grupo de eurodeputados que estavam a jantar num restaurante do centro da cidade. De acordo com a France Info, as ruas de Estrasburgo, que, por norma, estariam pejadas de turistas, estão hoje completamente desertas. 

VEJA TAMBÉM:

A circulação de transportes públicos está interrompida, para garantir o isolamento da zona, avança a autarquia de Bas-Rhin.

Célula de crise ativada

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, ativou a célula interministerial de crise. 

As primeiras reações já se fizeram sentir. Entre elas, está a de Marine Le Pen, presidente da Frente Nacional, que ataca a política de combate ao terrorismo francesa. 

"Uma mudança radical é necessária, uma vez que a política contra o terrorismo está claramente a falhar", escreveu, no Twitter.  

Tiroteio ao final da tarde

De acordo com o relato na rede Twitter do jornalista Bruno Poussard, os tiros foram ouvidos cerca das 19:55 locais, menos uma hora em Lisboa.

A área, perto da praça Kleber, foi vedada pelas autoridades, tendo sido cortada a circulação automóvel na zona.

Através das redes sociais, vários utilizadores têm publicado imagens dos acontecimentos.

 

 

Ministro do Interior a caminho

Segundo a agência noticiosa AFP, o presidente francês Emmanuel Macron deu já instruções ao ministro do Interior para se deslocar a Estrasburgo.

Christophe Castaner já comunicou estar atento ao desenrolar da situação.

 As autoridades solicitam que se evite a propagação de boatos.