O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou, nesta segunda-feira, que a vacinação contra a covid-19 vai passar a ser obrigatória para todos os profissionais que trabalham com pessoas frágeis em hospitais e lares a partir de 15 de setembro.

Macron vai, ainda, ponderar o alargamento da vacinação obrigatória a toda a população, caso continue a haver uma resistência por parte desta.

O governante anunciou, também, que o acesso a restaurantes, bares e outros locais públicos a partir de agosto será feito mediante a apresentação de um "passe covid", um certificado que ateste a vacinação ou teste negativo à covid-19.

O nosso país está a enfrentar um aumento da epidemia em todo o território, na França continental e no exterior. A situação está sob controlo, mas se não agirmos agora o número de casos aumentará significativamente e levará a um aumento dos internamentos", justificou o chefe de Estado, numa declaração televisiva.

Para combater a quarta vaga, Emmanuel Macron admitiu que é preciso "restringir os não vacinados em vez de todos".

Também hoje a Grécia decidiu tornar obrigatória a vacinação contra a covid-19 para vários trabalhadores, como os profissionais de saúde e os funcionários dos lares.

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, anunciou ainda novas restrições para conter a pandemia. Só as pessoas vacinadas poderão entrar em bares, cinemas, teatros e outros espaços fechados.

A vacinação obrigatória para os funcionários dos lares vai começar imediatamente. A dos profissionais de saúde arranca só a 1 de setembro.

Redação / com Lusa