O Governo regional da Galiza espera que Portugal responda “este fim de semana” sobre a oferta que a região fez para receber doentes com covid-19 nos hospitais desta comunidade autónoma espanhola.

O presidente da Junta (Governo) da Galiza (na fronteira norte com Portugal), Alberto Núnez Feijóo, disse esta sexta-feira que acredita que, numa questão de “horas ou dias”, provavelmente “este fim de semana", Lisboa concretize as necessidades que tem.

Alberto Núñez Feijóo, confirmou que já tinha oferecido a Portugal a possibilidade de receber pacientes na rede de hospitais da região, mais precisamente no hospital Álvaro Cunqueiro, de Vigo.

O presidente da região da Galiza revelou que já falou há alguns dias com o embaixador de Portugal em Madrid, João Mira Gomes, e que as autoridades de saúde portuguesas estão em contacto com as autoridades de saúde desta comunidade autónoma.

Lisboa "sabe perfeitamente bem que a Galiza é um território que tem estado especialmente unido a Portugal desde há séculos", disse Feijóo.

O chefe do executivo regional da Galiza esclareceu que, em qualquer caso, e depois da resposta do Governo português, antes de se concretizar qualquer tipo de ajuda irá comunicá-la ao Governo central de Espanha e à embaixada portuguesa em Madrid.

O setor da saúde é da competência de cada uma das 17 comunidades autónomas espanholas, mas tudo o que tem a ver com a ajuda internacional passa pelo Governo central, em Madrid.

O Governo espanhol já se ofereceu para ajudar Portugal a lutar contra a falta de meios hospitalares no quadro da pandemia de covid-19.

O contacto inicial foi feito pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros de Espanha junto da embaixada portuguesa em Madrid e aguarda agora também por um pedido oficial de ajuda por parte de Portugal, para organizar com as suas comunidades autónomas apoio para aliviar a pressão hospitalar no país vizinho.

“Temos total disponibilidade para ajudar Portugal” a lutar contra a pandemia de covid-19, disse fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol no início da semana à agência Lusa, acrescentando que, assim que se formalize o pedido de apoio, a questão será discutida com as comunidades autónomas do país.

/ MJC