O que começou como uma viagem de sonho, em julho, acabou em tragédia e o que aconteceu ainda é um mistério. O corpo de Gabby foi encontrado duas semanas após a jovem ser dada como desaparecida e o namorado está em parte incerta, após ter voltado sozinho para casa. Nunca falou com a família da jovem, nem com as autoridades. 

Segundo a CNN, o jovem alegou a “quinta emenda”, um artigo da Constituição dos Estados Unidos, em que as pessoas não podem ser obrigadas a prestar declarações se sentirem que aquilo que vão dizer pode ser negativo para si ou, até, usado contra si.

Terça-feira, as autoridades confirmaram que o corpo encontrado na Floresta Nacional de Bridger-Teton, no Wyoming era mesmo o de Gabby Petito, de 22 anos. E as primeiras conclusões do relatório de autópsia apontam para homicídio, como causa de morte.

Ao final de um mês de viagem, Brian Laundrie, de 23 anos, voltou para casa sozinho, na Florida. O jovem ainda não foi acusado de qualquer crime, mas foi considerado “pessoa de interesse” no caso. Como, entretanto, desapareceu, as autoridades estão a desenvolver operações para determinarem a sua localização.

A viagem do casal, que deveria ter demorado quatro meses, começou em julho, em Long Island, Nova Iorque. Iriam levar a carrinha da jovem e a ideia era relatar, através das redes sociais, Instagram e Youtube, a sua jornada nómada através de alguns parques nacionais dos Estados Unidos. Segundo os próprios, teriam ficado noivos em julho de 2020.

Brian Laundrie regressou sozinho à Florida, com a carrinha da jovem, dia 1 de setembro. Dez dias depois, e sem informações do paradeiro da filha, a família de Gabby, deu o alerta do desaparecimento.

No passado dia 14 de setembro, segundo a família do jovem, Brian saiu com uma mochila às costas, dizendo que ia à Reserva de Carlton. De acordo com a CNN, quando falou com as autoridades na passada sexta-feira, dizendo que o jovem não tinha regressado, esta foi a informação transmitida.

Perante o paradeiro desconhecido, foi dado inicio às buscas, com a atenção centrada na reserva de Carlton, um parque na Florida, com mais de dez mil hectares. Estão a ser usados cães e drones, mas a vastidão da área e o tipo de terreno torna a tarefa quase impossível. Até mergulhadores estão a participar nas operações.

Segunda-feira passada, o FBI também realizou uma busca de quase oito horas na casa dos pais de Brian, na Florida. Antes de desaparecer, o jovem nunca falou sobre o desaparecimento de Gabby, nem nunca deu qualquer informação à polícia. Durante as buscas, os pais de Brian foram afastados de casa. Dias antes, a polícia já tinha estado no local, mas a família recusou prestar qualquer informação, apenas indicando o nome do advogado que os representava.

O advogado da família, Steve Bertolino, agendou uma conferência de imprensa para a passada quinta-feira, mas após uma conversa com os agentes do FBI, acabou por cancelar a mesma. Segundo os meios de comunicação social locais, o advogado alegou “que não era do interesse do cliente” falar nesta altura. Após as notícias da morte de Gabby, Steve Bertolino, emitiu um comunicado onde apenas se lia: “Que Gabby descanse em paz”.

O que aconteceu?

Ninguém sabe o que levou ao desaparecimento e morte de Gabby e as autoridades tentam juntar as peças. No dia 12 de agosto, a polícia da cidade de Moab, no Utah, foi alertada para um possível incidente de violência doméstica, envolvendo o casal.

As imagens gravadas pelas câmaras dos polícias mostram Gabby a chorar e a assumir que tinha algumas questões de saúde mental e que, ultimamente, o casal estava a discutir com mais frequência. No relatório dizia que Brian tinha a cusado Gabby de o agredir após uma discussão. Os polícias aconselharam o casal a passar a noite separados, mas não foi apresentada nenhuma queixa. 

No entanto, na chamada da testemunha para o serviço de emergência, a relatar o incidente, é dito que é Brian que agride Gabby. Após o encontro com a polícia, ninguém sabe o que aconteceu.

Dia 19 de agosto, foi publicado um vídeo no Youtube, no canal de Gabby. Mostrava o casal a sorrir, trocando beijos e a correrem na praia. Já foi visualizado mais de três milhões de vezes.

As publicações frequentes do casal no Instagram deixaram de ser feitas no final de agosto. De acordo com o Rick Stafford, advogado da família Petito, Gabby falou com a mãe, através de uma videochamada, dia 24 de agosto. Disse que ia sair de Utah e seguiria para Teton, no Wyoming.

Em declarações à CBS, a mãe de Gabby explicou que ela e a filha falavam, habitualmente, três vezes por semana.

A última publicação no Instagram foi a 25 de Agosto e apenas dizia “Feliz Halloween”. A galeria não incluía informação sobre a localização das fotografias.

No mandado de buscas, as autoridades consideraram que algumas mensagens de texto (SMS) de Gabby para a mãe revelavam um aumento de tensão entre o casal. Haverá mesmo, segundo o mesmo documento, um “texto estranho” de Gabby sobre o avô que deixou a mãe apreensiva.

A última mensagem escrita foi enviada a 30 de agosto e, desde o início, a mãe de Gabby tem dúvidas sobre quem a efetivamente escreveu e enviou. Apenas dizia: "Nenhum serviço em Yosemite", numa aparente referência ao parque nacional da Califórnia.

No dia 19 de setembro, numa zona remota da Floresta Nacional de Bridger-Teton foi descoberto o corpo, que depois se veio a confirmar ser de Gabby Petito. No entanto, as autoridades não revelaram como e onde foi descoberto.
 

Patrícia Pires