Lisa Urso foi encontrada inconsciente e com vários ferimentos, causados por várias dentadas e arranhões, no pátio da casa em que residia, em Fox Lake, a quase 90 quilómetros de Chicago, nos Estados Unidos.

O incidente ocorreu no dia nove de maio e agora noticiado pela CNN.

Os ferimentos terão sido causados por um dos próprios animais de estimação da vítima, um bulldog francês, chamado Blue (à esquerda na imagem).

O corpo da mulher apresentava múltiplas lesões, sinais de mordidas caninas e arranhões, sobretudo, nas pernas, tronco e braços.

De acordo com o médico legista encarregado pela autópsia à vítima, Howard Copper, “não há qualquer dúvida” de que esta mulher morreu por consequência dos ferimentos infligidos pelo bulldog francês.

O corpo tinha múltiplas dentadas e arranhões por todo o corpo, sobretudo, nas pernas, tronco e braços. É claro que a vítima morreu dos ferimentos que recebeu do cão. Não há dúvidas sobre isso”, explicou o médico legistar.

Apesar das afirmações feitas pelo profissional de saúde responsável pelo caso, o relatório final da autópsia ainda está por concluir.

Muitas pessoas devem estar a pensar que se tratava de um cão muito pequeno para ser capaz de matar alguém. As pessoas não compreendem que este animal pesava 25 quilos, o que já é um cão com um tamanho substancial”, evidencia o médico legista.

O bulldog francês acabou por ser transferido para o centro de controlo animal local. A notícia deixou parte da equipa especializada perplexa e sem acreditar nos factos numa primeira instância.

Quando soubemos da notícia pensámos que não era verdade. Não é possível um bulldog francês matar o dono. Achámos que a mulher teria morrido de causas naturais e o cão a teria tentado reanimar. Apesar de sermos profissionais que já se depararam com vários casos realmente estranhos, tivemos a mesma reação que toda a gente”, disse Robin Van Sickle, tratador do centro de controlo animal de Fox Lake.

Lisa Urso tinha três cães: Blue, um bulldog francês arraçado, de dois anos, com 25 quilos; Rocco, outro bulldog francês, de dois anos, com 16 quilos (à esquerda na imagem) e ainda um collie arraçado, com 15 anos e 11 quilos, chamado Spike (à direita na imagem).

Todos os animais estavam perfeitamente saudáveis quando foram encontrados.

Rocco e Spike já foram realojados. Blue acabou por ser eutanasiado no dia 19 de maio.

Este não foi o primeiro incidente em que o bulldog francês atacou um humano. No dia 13 de abril, o namorado de Lisa Urso teve de receber tratamento hospitalar depois de ter sido mordido por Blue. O cão ficou sob observação e acabou por regressar para casa da dona no dia 21 de abril.

Os amigos de Lisa Urso relembram uma mulher defensora e apaixonada pelos animais de estimação, que tratava os três cães que tinha como filhos.

Era uma pessoa fantástica. Colocava os animais acima de toda gente e chamava-lhes crianças que quatro patas”, lembrou Jayne Petty, amiga da vítima mortal há mais de 25 anos.

Também nos Estados Unidos um pai morreu a tentar salvar a filha de cinco anos do ataque de um cão

Nuno Mandeiro