Itália registou 15.370 novos casos e 310 mortos por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde, citado pela agência EFE.

Num momento em que o país se prepara para aligeirar as restrições, Itália acumulou este sábado um total de 3.857.443 casos de infeções e 116.676 óbitos, desde fevereiro de 2020, quando teve início a pandemia.

Nas últimas horas, 16.484 pessoas foram dadas como recuperadas, mas a pressão hospitalar mantém-se, com 24.100 internados nas enfermarias e 3.340 em unidades de cuidados intensivos, acima do limite crítico de 3.000 doentes.

A região de Lombardia (norte), a mais afetada pela pandemia, relatou 2.546 novos caso, e a Campânia (sul) 2.232, enquanto as restantes regiões se mantiveram abaixo das 2.000 novas infeções.

Itália prevê iniciar a 26 de abril o ansiado caminho da reabertura, com o regresso às escolas e a abertura de espaços que podem funcionar ao ar livre, como os restaurantes, uma medida que o governo pretende que seja definitiva.

“Se os italianos se comportarem de maneira adequada e com a campanha de vacinação não tenho dúvidas de que, cada vez mais, a situação irá melhorar e a possibilidade de voltar atrás será muito baixa”, disse o primeiro-ministro Mario Draghi, esta sexta-feira, citado pela EFE.

A partir de 26 de abril, será recuperada a classificação de "zona amarela", de menor risco epidemiológico, e as regiões que nela ingressarem poderão abrir as portas dos seus restaurantes e bares, para almoço ou jantar, desde que funcionem ao ar livre.

. / MJC