Um grupo de ativistas dos direitos dos animais em Itália exige às autoridades que salvem um urso de ser abatido, depois do animal ter atacado duas pessoas, pai e filho, na região norte de Trentino.

Fabio Misseroni, de 59 anos, e o seu filho Christian Misseroni, de 28, estavam a caminhar na passada segunda-feira no Monte Peller, quando disseram ter sido surpreendidos por um enorme urso.

O jovem contou à CNN que o urso lhe mordeu uma das pernas. Depois, o pai que foi em seu auxílio também acabou ferido. Após o ataque, o animal fugiu para a floresta.

As regras do Instituto Nacional de Proteção Ambiental e Pesquisa italiano exigem que os ursos que atacam seres humanos sejam abatidos.

Os regulamentos do Instituto Nacional de Proteção Ambiental e Pesquisa da Itália exigem que os ursos que atacam os seres humanos sejam sacrificados.

Depois do incidente, o governador de Trentino, Maurizio Fugatti, assinou uma ordem para que o animal fosse abatido. Neste momento, as autoridades estão a tentar identificá-lo através do ADN extraído da saliva e do pelo deixados nas feridas e nas roupas das vítimas.

A petição para que o urso seja salvo já conta com mais de 15 mil assinaturas.

Lara Ferin