O Supremo Tribunal da Hungria absolveu Petra Laszlo, a jornalista que foi filmada em 2015 a pontapear migrantes que estavam na fronteira.

Um tribunal inferior tinha condenado a mulher a três anos de pena suspensa pelos atos.

Contudo, o Supremo decidiu na terça-feira que Petra devia ter sido julgada por uma contraordenação e não por um crime, tendo decidido pela absolvição.

O juiz afirmou que as ações, que centraram atenções em todo o mundo, foram “moralmente incorretas e ilícitas”, mas não severas o suficiente para entrarem na categoria de crime.

Petra Laszlo foi filmada, durante um direto em setembro de 2015, a pontapear refugiados que fugiam à polícia para tentar entrar na Hungria.

As imagens foram partilhadas nas redes sociais, onde se gerou uma forte onda de indignação contra a jornalista.

A repórter do canal de televisão nacional da Hungria NT1 foi vista a fazer uma rasteira a um homem que corria com um menino nos braços, depois de conseguir escapar de um agente.

Petra Laszlo foi despedida no mesmo dia em que as imagens chegaram às redes sociais e correram mundo.