Uma loja de tatuagens no Kentucky, Estados Unidos, está a oferecer consultas para qualquer pessoa que queira disfarçar um símbolo associado a gangues radicais ou relacionado com ódio a grupos minoritários que tenha tatuado na pele.

Jeremiah Swift e Ryun King, da Galeria X Art Collective disseram à CNN que decidiram oferecer o serviço como forma de apoiar o movimento “Black Lives Matter” e para apoiar os protestos que pedem o fim da violência policial e da injustiça racial.

“É definitivamente uma mudança que já devia ter ocorrido há muito tempo”, afirma Ryun King, sublinhando que “ter alguma tatuagem relacionada com o ódio é inaceitável. Muitas pessoas fizeram erros quando eram mais jovens e tiveram de crescer com esses erros gravados na pele”.

“Só queremos ter a certeza que todos têm a hipótese de mudar”, afirma.

Até ao momento, a loja já recebeu mais de 30 pedidos, incluindo um homem com ambos os braços cobertos de símbolos de ódio. “Como é que uma pessoa destas vai interagir com a sociedade depois dos erros que fez há 10, 15, ou 20 anos atrás?”, questionou Ryun King.

Os donos da loja contaram ainda que receberam um homem com uma grande suástica tatuada e que lhes disse que nunca ficou de tronco nu à frente dos filhos.

“Gosto de ver isto. Gosto de ver pessoas que querem mudar para melhor. Enche-me de emoções”, explicou King. 

Os artistas indicaram que o serviço está aberto a qualquer pessoa, independentemente do sítio onde vivam e afirmam que têm vários designs disponíveis.