Um navio pesqueiro britânico apresado junto ao porto de Le Havre, em França, devido a alegadas infrações nas licenças de pesca, relacionadas com o diferendo bilateral pós-Brexit, foi esta quarta-feira libertado pelas autoridades francesas, informou o proprietário da embarcação.

Estamos satisfeitos por termos este assunto resolvido e muito satisfeitos que a nossa tripulação e o nosso navio possam agora regressar a casa. A tripulação agiu com tranquilidade e profissionalismo durante todo o incidente. Estão bem-humorados, ansiosos para voltar junto dos seus entes queridos e estão gratos por todas as mensagens de apoio recebidas dos britânicos”, disse o chefe de relações públicas da Macduff Shellfish, Andrew Brown, depois de a traineira Cornelis Gert Jan ter deixado Le Havre.

A Polícia Marítima francesa apreendeu o navio na costa da Normandia na semana passada e deteve o seu capitão e a sua tripulação.

Esta quarta-feira, o advogado Mathieu Croix, que representa o capitão do navio, Jondy Ward, disse que um tribunal francês ordenou a libertação da embarcação.

Mathieu Croix afirmou que o barco foi “apanhado num jogo político”.

Há toda uma história em torno deste caso, que, na verdade, é um assunto bastante mundano sobre a pesca numa área que supostamente está fora dos limites e sobre licenças que podem ou não ter sido dadas e valores de captura que são relativamente modestos”, acrescentou o advogado.

VEJA TAMBÉM: FRANÇA REVELA PRINCÍPIO DE ACORDO COM O REINO UNIDO SOBRE AS PESCAS, MAS DOWNING STREET DESMENTE

Em 28 de outubro, a França apresou o pesqueiro britânico perto do porto de Le Havre para multá-lo por infrações, enquanto o Reino Unido qualificou como "desproporcionais" as ameaças de França perante o conflito de pesca entre os dois países.

Os franceses anunciaram o apresamento do barco pesqueiro britânico na costa do porto de Le Havre para multá-lo por diversas infrações, quando as relações entre os dois países estão tensas justamente por causa das licenças de pesca que Paris reivindica a Londres devido ao ‘Brexit’.

O Governo francês afirmou, num comunicado, que um dos seus barcos de patrulha da polícia efetuou na quarta-feira controlos a dois navios na Baía do Sena, após a sua decisão de reforçar a fiscalização no Canal da Mancha "no contexto das discussões sobre as licenças com o Reino Unido e a Comissão Europeia".

Um dos barcos de pesca inicialmente tentou fugir do controlo do barco patrulha, segundo o Ministério do Mar francês, até que, após avisos dos polícias, concordou em permitir que realizassem verificações.

Os agentes não encontraram nenhuma infração, mas multaram-no por resistir ao controlo.

No outro navio de pesca britânico vistoriado, os polícias constataram que o mesmo não constava das listas de licenças acordadas pela Comissão Europeia e pela França ao Reino Unido e foi levado para o porto de Le Havre, onde foi aberto um procedimento.

Representantes da França e do Reino Unido vão encontrar-se na sexta-feira na Comissão Europeia, em Bruxelas, para tentar chegar a um acordo sobre o problema das licenças de pesca, que degenerou em ameaças dos dois lados.

Antes do encontro na sexta-feira, David Frost, responsável pela pasta do Brexit no Governo britânico, desloca-se amanhã a França, onde está prevista uma primeira reunião em Paris com Clément Beaune, secretário de Estado francês dos Assuntos Europeus, segundo anunciou Gabriel Attal, porta-voz do Governo.

O meu colega Clément Beaune vai encontrar-se amanhã com David Frost sobre esta matéria e haverá uma outra reunião na sexta-feira na Comissão Europeia. Este é um tema principalmente europeu. A reunião na Comissão Europeia será muito importante e aguardamos os resultados", disse Attal após o Conselho de Ministros que decorreu ~esta quarta-feira no Palácio do Eliseu.

Os encontros surgem depois de a França ter anunciado a imposição de sanções ao Reino Unido.

Paris mantém em suspenso a anunciada imposição, a partir de 02 de novembro, de novos controlos aduaneiros e sanitários dos produtos britânicos que cheguem a França e a proibição de todos os produtos do mar vindos desse país.

/ NM