O Governo britânico retirou a Dinamarca da sua lista de corredores aéreos seguros após ter sido detetada uma mutação do Sars-CoV2 associada a visons naquele país, anunciou esta sexta-feira o ministro dos Transportes do Reino Unido, Grant Shapps.

Num comunicado publicado no portal oficial do Executivo de Londres, foi indicado que os viajantes da Dinamarca devem manter - desde as 03:00 (mesma hora em Lisboa) - uma quarentena de 14 dias na chegada ao Reino Unido.

O ministro explicou que se tratou de uma "decisão urgente" tomada na madrugada de hoje em função dos últimos acontecimentos, depois que a Dinamarca anunciar que vai sacrificar 17 milhões de visons para impedir uma nova variante do novo coronavírus encontrada nos animais que é transmitido aos humanos.

Eu entendo que isso será motivo de preocupação para as pessoas atualmente na Dinamarca e para os cidadãos do Reino Unido e é por isso que agimos rapidamente para proteger o nosso país e prevenir a propagação do vírus no Reino Unido", disse Shapps.

O ministro acrescentou que havia seguido as instruções do principal conselheiro médico do governo, Chris Whitty.

A Dinamarca vai abater todos os visons criados naquele país, que serão entre 15 milhões a 17 milhões, após ter sido verificada uma mutação do novo coronavírus que infetou 12 pessoas, anunciou na quarta-feira a primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen.

A líder do executivo dinamarquês argumentou que esta evidência ameaça a eficácia de uma futura vacina contra a doença covid-19, que é provocada por um novo coronavírus (SARS-Cov-2).

Em junho passado, também as autoridades holandesas ordenaram o abate de vários milhares de visons.

Esta decisão dos britânicos em relação à Dinamarca ocorreu menos de 12 horas após a Alemanha e a Suécia também terem sido retiradas da lista segura do Reino Unido, cujos cidadãos terão de permanecer em quarentena por duas semanas após a chegada àquele país a partir de sábado.

De acordo com os últimos dados oficiais do Ministério da Saúde britânico, o Reino Unido registou outras 378 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos desde o início da pandemia para 48.120, e registou outras 24.141 infeções diárias.

O Governo de Boris Johnson impõe a partir de hoje um confinamento quase total na Inglaterra, a região mais populosa do Reino Unido - com 56 de 66,6 milhões de habitantes - após semanas defendendo restrições em localidades.

/ CE