A Alemanha registou nas últimas horas mais 6.000 casos de Covid-19 e 145 óbitos, anunciou o instituto de saúde Robert Koch, no balanço diário desta sexta-feira.

De acordo com as autoridades de saúde alemãs, o número de mortes subiu para 1.017, enquanto os infetados com o novo coronavírus são agora 79.696.

Os dados do Instituto Robert Koch adiantam que os estados federados mais afetados continuam a ser a Baviera, a Renânia do Norte-Vestfália e Baden-Württemberg, com 20.237, 16.606 e 16.059 infetados, respetivamente, o que representa um aumento de 1.741, 1.179 e 1.397 pessoas em cada estado, nas últimas 24 horas.

O avanço dos contágios difere consideravelmente entre os estados federais, com a duplicação de casos a acontecer aos 13,3 dias na Renânia do Norte-Vestfália, aos 12,2 dias em Baden-Württemberg e aos nove dias na Baviera - os “Länder” mais afetados -, enquanto em Berlim acontece a cada 13,6 dias, de acordo com os cálculos do jornal “Süddeutsche Zeitung”, divulgados também na quinta-feira.

Em contrapartida, no Saarland, os casos de contágio abancam mais rapidamente e duplicam a cada 6,2 dias.

Os números do Instituto Robert Koch foram atualizados às 08:10 de hoje (06:10 em Lisboa), mas continuam abaixo dos da Universidade Johns Hopkins, que tem um método mais dinâmico de recolha de dados.

Nos valores registados pela universidade norte-americana, a Alemanha terá 84.794 infetados, ultrapassando o número de pessoas infetadas na China - 82.432 - e torna-se o quarto país mais afetado pela Covid-19, atrás dos Estados Unidos (243.453), da Itália (115.242) e da Espanha (112.065).

Além disso, há cada vez mais médicos e profissionais de saúde entre os casos confirmados de contágio, com mais de 2.300 infetados neste momento, segundo dados da Robert Koch divulgados pelas televisões públicas regionais NDR e WDR e o Süddeutsche Zeitung, que indicam que o número de doentes pode ser ainda maior.

O novo coronavírus já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 51 mil.

O continente europeu, com mais de 525 mil infetados e mais de 37 mil mortos, é atualmente a região mais afetada.

/ CM