O ativista político Mamadou Ba reagiu esta sexta-feira aos comentários feitos por António Costa, em entrevista ao Público, sublinhando que o primeiro-ministro "opta pela atitude de Pilatos face ao racismo e ao fascismo"

O líder da SOS Racismo sublinha ainda que a mensagem de Costa se compara com "uma deputada do PSD" que viu a "equiparar racistas e anti-racistas".

"É uma atitude, para além de cobarde, profundamente desonesta, ilustrando se necessário fosse, a falta de proposta política para combater o racismo. Em suma, a tirada do senhor primeiro-ministro, mais do que uma triste e inglória estratégia de isolar o anti-racismo, é uma lamentável falta de coragem política. O combate contra o racismo não conta com um primeiro-ministro que o desvalorize", argumenta o ativista na sua conta oficial de Facebook.

Quando fiz o post anterior, há pouco, nem sabia da entrevista do primeiro-ministro, António Costa. António Costa opta...

Publicado por Mamadou Ba em Sexta-feira, 5 de março de 2021

 

Quem também não ficou indiferente às palavras de António Costa foi Isabel Moreira que, no Facebook, revelou ter ficado surpreendida com a comparação entre Mamadou Ba e André Ventura. 

"É por isso surpreendente que António Costa, primeiro-ministro, passe ao lado do racismo estrutural e, precisamente nos tempos que correm , faça uma simetria entre Mamadou Ba, um ativista anti-racista, e André Ventura.  É, aliás, muito mais do que surpreendente", afirma a deputada.

O racismo estrutural está identificado . A comissão de assuntos constitucionais, direitos, liberdades e garantias fez ,...

Publicado por Isabel Moreira em  Sexta-feira, 5 de março de 2021

A deputada do Partido Socialista afirma que a mensagem de Costa é ainda mais incompreensível depois de a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias ter realizado um relatório importante sobre o racismo e a xenofobia em Portugal. O qual, explica, contém várias propostas de políticas ativas de promoção da igualdade nesta matéria .

"O Governo, este Governo, criou um Grupo de Trabalho para a Prevenção e Combate à Discriminação Racial, que atualmente analisa e discute medidas que proporá para o Primeiro Plano Nacional contra o Racismo e a Discriminação", sublinhou.

Na entrevista ao Público, questionado pelo debate aceso entre elementos de extrema-direita e das plataformas antirracistas sobre o passado colonial de Portugal, o primeiro-ministro destacou o reconhecimento e a estabilidade das políticas de acolhimento e lembrou que o país não se resume aos extremos.

Temos, quer em matéria de política de imigração, quer de refugiados, um historial continuado que tem resistido a todas as mudanças de Governo e que, com pequenas derivas, foi sempre mantido como consensual. E nem André Ventura nem Mamadou Ba representam aquilo que é o sentimento da generalidade do país. Felizmente! Nem André Ventura nem Mamadou Ba representam aquilo que é o sentimento generalizado do país", concluiu.