Francisco Rodrigues dos Santos pediu, esta quinta-feira, ao Presidente do Conselho Nacional "a convocação urgente" de uma reunião extraordinária para se decidir a data para a realização do congresso do CDS-PP. 

Decidi solicitar ao Presidente do Conselho Nacional a convocação urgente deste órgão, para reunião extraordinária, com vista a deliberar sobre a realização do XXIX Congresso Nacional do CDS-PP", lê-se na carta a que a TVI24 teve acesso. 

O presidente do CDS-PP esclarece que tomou esta decisão no seguimento da carta que lhe foi enviada por vários líderes distritais do partido e pelo líder regional dos Açores, “por não ser indiferente aos argumentos ali apresentados a favor da necessidade de dar prioridade à preparação atempada das eleições legislativas, em detrimento da realização imediata de um congresso”.

Conselho Nacional marcado para sexta-feira

Não demorou muito até o pedido de Francisco Rodrigues dos Santos ser concedido. O Conselho Nacional do CDS já está marcado para sexta-feira, às 19:00, por videoconferência.

A ordem de trabalhos passa pela deliberação sobre a realização do XXIX Congresso Nacional, ou seja, se se realiza ou não, e a análise da situação política.

Recorde-se que o CDS-PP convocou para esta quinta-feira, às 21:00, uma reunião da Comissão Política Nacional, também "com caráter urgente", para "análise da situação política do partido e do país".

TVI sabe que o adiamento do congresso estará em cima da mesa desta reunião. 

O presidente do CDS tinha admitido que o congresso do partido pudesse ser adiado caso o Orçamento do Estado para 2022 fosse chumbado, como se verificou na quarta-feira.

O CDS tem órgãos próprios que têm competências para avaliar a dinâmica do próprio calendário político, e se isso vier a acontecer é uma discussão que estará em aberto certamente no nosso partido”, afirmou a 14 de outubro.

As reações de Nuno Melo e Adolfo Mesquita Nunes

Já esta quinta-feira, o candidato à liderança do CDS-PP Nuno Melo deixou o aviso ao atual líder, defendendo que não pode ser adiado o congresso.

Quem queira evitar o voto dos militantes, num congresso que por vontade própria pediu, com medo afinal de o perder, depois da soberba de quem esmagaria outras alternativas, não terá qualquer legitimidade", escreveu, na sua página pessoal no Facebook.

Adolfo Mesquita Nunes também escreveu no Facebook que se o CDS "desistir de decidir" no congresso com que líder e com que estratégia é que o partido avança para as eleições legislativas antecipadas, "isso só poderá significar que o partido desistiu de si próprio e dos seus militantes".

O 29.º Congresso do CDS-PP está agendado para os dias 27 e 28 de novembro.