O primeiro-ministro lembrou hoje os autarcas que são ele os "primeiros responsáveis pela proteção civil em cada concelho", ao responder a críticas como a do vice-presidente da Câmara de Vila de Rei sobre a prevenção dos incêndios.

Eu não faço comentários enquanto os incêndios e as operações estão a decorrer e, sobretudo, não digo aos que são os primeiros responsáveis pela proteção civil em cada concelho, que são os autarcas, o que é que devem fazer para prevenir, através da boa gestão do seu território, os riscos de incêndio", disse aos jornalistas, à margem da inauguração de cinco unidades de saúde nos concelhos de Sintra e Amadora, no distrito de Lisboa, questionado sobre o incêndio que lavra desde sábado em Vila de Rei e alastrou ao concelho vizinho de Mação, mas também sobre as críticas dos autarcas da zona, nomeadamente o vice-presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Paulo César, que disse hoje que este concelho "está farto" de enfrentar chamas ano após ano, considerando que o "Estado voltou a falhar".

António Costa disse que "o Governo tem estado, desde a primeira hora, a acompanhar a situação desde sábado", tanto ele próprio como o ministro da Administração Interna, o secretário de Estado da Proteção Civil, ou "as instituições do Estado sob a liderança da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil".

Este é o momento de deixar os profissionais fazer o seu trabalho, com a grande dedicação com que estão a fazer, darem tudo por tudo para protegerem as pessoas, para salvarem os bens das pessoas, para protegerem a nossa floresta e, no final, falaremos", observou.

O governante disse ter "uma grande confiança em todos os profissionais e voluntários que estão a trabalhar", sejam bombeiros voluntários, sejam os bombeiros da força especial de bombeiros, militares da Guarda Nacional Republicana ou das Forças Armadas.

Todos estão a dar o seu melhor para que esta situação se possa controlar o mais rapidamente possível", destacou.

O primeiro-ministro assinalou também que "durante a manhã [o fogo] esteve praticamente dominado", mas, "infelizmente, as condições atmosféricas não permitiram uma consolidação atempada da situação".

Mas vamos deixá-los trabalhar, acho que é isso que é necessário", sublinhou.

Governo diz que serviços já estão no terreno a fazer levantamento dos prejuízos

O Governo anunciou hoje que os serviços do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural já estão nas zonas atingidas pelos incêndios nos distritos de Castelo Branco e Santarém, para fazer o levantamento dos prejuízos sofridos em explorações agrícolas.

Apesar de estarem ainda em curso trabalhos de rescaldo nas zonas atingidas pelos incêndios, nos concelhos de Sertã e Vila de Rei, no distrito de Castelo Branco, e Mação, em Santarém, o Ministério da Agricultura adiantou que os serviços já estão no terreno, indicando que o levantamento que está a ser feito abrange, além das explorações agrícolas, “eventuais necessidades relativamente a tratamentos de animais feridos e alimentação animal, incluindo abelhas”.

“Logo que estejam concluídas as operações de delimitação das áreas atingidas pelos incêndios que têm estado a atingir mais duramente os concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei, o Governo publicará a portaria que definirá as condições de apoio aos agricultores e aos produtores florestais”, informou o gabinete do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.