O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que a "lição fundamental" a tirar do ano de pandemia é que "o investimento em Saúde tem de ser prioritário".

António Costa falava na inauguração do Centro de Saúde da Nazaré, onde não respondeu às perguntas dos jornalistas, e salientava "o reforço do SNS" feito pelo seu Governo, num "ano em que ficou muito claro para todos a importância do Serviço Nacional de Saúde".

"Este ano, haverá um total de 12.100 milhões euros para o SNS. Se recordarmos que a bazuca europeia são 14 mil milhões euros em seis anos, temos a noção do que vai investir-se só este ano no SNS."

O primeiro-ministro recordou que o Plano de Recuperação e Resiliência vai servir para "reforçar ainda mais o SNS" e para "fazer mudanças estruturais na sua base", com apostas nas Unidades de Saúde Familiares, nos cuidados continuados integrados, nos cuidados paliotivas, na saúde mental.

"Vamos fazer novos centros de saúde e com que os que já existem ofereçam mais valências de saúde à população."

 

Costa deu o exemplo do Centro de Saúde da Nazaré, que "já tem uma cadeira de dentista", para garantir que a saúde oral vai estar mais presente nestas unidades. 

A ministra da Saúde, que também esteve presente, também sublinhou que "foi um ano muito difícil para os profissionais de saúde em particular" e que o Governo vai apostar nos cuidados de saúde primários, sendo ao nível de médicos, como enfermagem, saúde oral, psicologia, ou nutrição.

"Queremos continuar a contribuir para que estes sejam a primeira resposta do SNS às populações."

Marta Temido também não respondeu às perguntas dos jornalistas, afirmando que não era "oportuno agora". 

Recorde-se que Portugal vai retomar a vacina da AstraZeneca já na próxima segunda-feira e que há notícias que dão conta que a segunda fase do plano de vacinação poderá ser alterada, para dar prioridade absoluta à idade.

Catarina Pereira