quatroA secretária-geral-adjunta do PS afirmou que o partido "se empenhará numa solução de quatro anos de estabilidade governativa em Portugal". Depois de terem sido divulgadas as primeiras projeções, que apontam para uma vitória do PS, mas sem maioria absoluta, Ana Catarina Mendes afirmou que há uma clara vontade dos eleitores em continuar com "um governo de estabilidade".

Tudo aponta para uma claríssima vitória do PS e, por isso mesmo, uma clara vontade dos eleitores de continuarmos com um governo de estabilidade, liderado pelo PS", afirma Ana Catarina Mendes.

No Hotel Altis, em Lisboa, onde está instalado o "quartel-general" do PS nesta noite eleitoral, a dirigente socialista falou ainda numa "derrota histórica da direita".

A confirmarem-se todos o os cenários, é uma derrota histórica no conjunto do PSD e CDS", acrescentou. 

Na mesma linha de discurso, Pedro Nuno Santos afirmou que o PS tem condições de garantir estabilidade, mas, questionado pelos jornalistas, não esclareceu o que é isso significa. O socialista limitou-se a dizer que esta é uma "grande vitória" do PS.

Os últimos quatro anos foram ótimos, os próximos quatro serão ainda melhores. (…) Vamos trabalhar para que haja um governo que garanta estabilidade ao país", acrescentou.

Mal saíram as primeiras projeções, às 20:00, os socialistas reunidos numa sala interior do hotel festejaram a vitória do partido com muitas palmas e palavras de ordem.

De acordo com as projeções da Pitagórica para a TVI, o PS vence as eleições deste domingo, mas sem maioria absoluta. Os socialistas deverão conseguir entre 34,5% e 38,5% dos votos, elegendo entre 100 a 112 deputados (nas eleições de 2015, elegeu 86 deputados).

O PSD deverá ficar com 24,6% a 28,6% dos votos, elegendo 68 a 78 deputados (nas eleições de 2015, elegeu 89 deputados).

Sofia Santana