João Ferreira retomou a campanha eleitoral, esta quarta-feira. O candidato comunista encontrou-se com a deputada Isabel Moreira, que é uma das caras da defesa da eutanásia no Parlamento.

Numa conversa casual, na esplanada de um café na Praça das Flores, em Lisboa, o candidato explicou o roteiro da campanha à deputada e assegurou que, em tempo de pandemia de covid-19, "é preciso dar segurança às pessoas".

O candidato anunciou ainda que vai votar no dia 24 de janeiro.

Apesar de defenderem posições diferentes nesta matéria, a deputada reforça o apoio no candidato comunista. Também João Ferreira disse ver com positivismo a recolha de apoios de quadrantes muito diferentes do seu.

É preciso fortalecer as raízes da democracia na sociedade portuguesa. É dessa forma que temos de enfrentar os problemas que temos pela frente, que são muito. Para cumprirmos esse objetivo, acho que ajuda um outro exercício das funções presidenciais distinto daquele que temos tido até agora", afirmou o candidato, após o encontro.

João Ferreira é o candidato certo para combater o populismo 

A socialista Isabel Moreira afirmou que apoia a candidatura de João Ferreira à Presidência da República, não com o objetivo de servir de “bandeira”, mas por considerar que é o candidato mais bem colocado para combater o populismo.

Eu não apoiei o João Ferreira para servir de exemplo ou de bandeira. Apoiei o João Ferreira porque estou verdadeiramente convencida, num momento em que estamos a viver muitas urgências, mas [em que] uma das urgências é o combate ao populismo (…), que nessa urgência é o candidato que está melhor colocado nesse compromisso de respeito integral pela Constituição, que não faz uma única cedência ao populismo”, sublinhou.

A socialista Isabel Moreira, que já tinha manifestado o seu apoio ao candidato apoiado pelo PCP e pelo PEV, marcou hoje presença na campanha de João Ferreira, que retomou as ações presenciais depois do cancelamento das iniciativas de terça-feira na sequência do teste positivo de Marcelo Rebelo de Sousa ao novo coronavírus.

Questionada pelos jornalistas se não revê as características que aponta à candidatura de João Ferreira na candidatura de Ana Gomes, militante do PS que nestas eleições é apoiada pelo PAN e pelo Livre, Isabel Moreira respondeu que, se apoia o candidato do PCP, é porque encontra noutras candidaturas algumas visões com as quais não concorda.

Mas, naturalmente, se eu digo que acho que o João Ferreira tem uma adesão corretíssima àquilo que são os poderes do Presidente da República, não inventando poderes que não existem, não se substituindo ao poder executivo, não se substituindo aos tribunais, não aderindo a uma visão de uma justiça populista, é porque evidentemente encontro noutros candidatos e noutras candidatas essas visões”, notou.

Questionada ainda pelos jornalistas sobre a sua divergência com o candidato relativamente a temas como a eutanásia, Isabel Moreira disse valorizar a candidatura de João Ferreira, justamente, pelo seu compromisso com a Constituição.

Aquilo que fará se for eleito Presidente da República quando a lei for aprovada, e se vier a ser aprovada, é respeitar a decisão do Parlamento. E aquilo, precisamente, que eu valorizo no candidato João Ferreira é o seu compromisso com a Constituição e com a Constituição que temos e não com uma Constituição inventada como outros candidatos fazem”, referiu.

Depois do encontro com Isabel Moreira na Praça das Flores, adiado para hoje, o candidato seguiu para o Jardim Amália Rodrigues para uma ação simbólica de manifestação de apoio à sua candidatura de um grupo de 285 ecologistas, que contou com a participação de Heloísa Apolónia.

Fique a par de tudo o que acontece sobre as Eleições Presidenciais de 2021 com a TVI24.

Pode também acompanhar a campanha eleitoral dos candidatos ao minuto, aqui.

 

Rafaela Laja