Marcelo Rebelo de Sousa é o vencedor indiscutível das eleições presidenciais, à primeira volta, e contou com cerca de 2,520 milhões de votos, mais de 100 mil do que em 2016.

Quando todas as 3.092 freguesias estão apuradas, o Presidente foi reeleito com 60,7% dos votos. Foi o primeiro candidato de sempre a vencer a votação em todos os concelhos.

A abstenção foi recorde em presidenciais, uma vez que mais de 60,5% dos eleitores não foram votar.

Nas últimas presidenciais, em 2016, Marcelo tinha conquistado 2.411.925 votos, correspondendo a uma percentagem de 52%.

Ao contrário de Marcelo, o anterior Presidente da República, Cavaco Silva, perdeu votos quando foi reeleito: entre 2006 e 2011, perdeu mais de 540 mil votos. Cavaco foi eleito com 2.773431 votos e foi reeleito com 2.231.956 votos.

Em segundo lugar no total nacional ficou Ana Gomes, com 12,93% dos votos, que correspondem a 536.236 votos. Tornou-se na mulher mais votada de sempre numas presidenciais.

André Ventura ficou em terceiro lugar, com 11,89%, que correspondem a 493.092 votos, e colocou, como prometido, o lugar à disposição no Chega.

João Ferreira alcançou 4,33% dos votos, correspondentes a 179.495 votos.

Seguiu-se Marisa Matias, com 3,94% e 163.211 votos.

Tiago Mayan Gonçalves alcançou 3,20%, com 132.880 votos.

O menos votado foi Vitorino Silva: 2,95%, que equivalem a 122.294 votos.

1,11% dos votos foram em branco (46.864) e 0,94% foram nulos (39.854).

Todos os resultados finais das eleições presidenciais AQUI

Catarina Pereira