A partir desta sexta-feira há 45 concelhos de Portugal que voltam a ter uma limitação de circulação na via pública, por causa do agravar da pandemia de covid-19. Entre esses municípios estão Lisboa e Porto, cidades com níveis de incidência preocupantes.

Na capital a PSP começou a operação de fiscalização ainda antes das 23:00, hora a que começa a restrição de circulação, sendo que os estabelecimentos de restauração devem encerrar até às 22:30.

Segundo o chefe Paulo Ferreira confirmou à TVI24, foram abordados alguns restaurantes, sendo que um deles estava em funcionamento já depois da hora.

De seguida as autoridades foram para os diversos miradouros, como o de São Pedro de Alcântara, que tem sido palco de vários ajuntamentos.

Paulo Ferreira refere que não havia muita gente na rua, destacando que alguns turistas ainda não conheciam bem as normas, e que, portanto, permaneciam na rua já depois da hora permitida.

No Porto as novas regras foram recebidas com normalidade, ainda que muitos jovens tenham reconhecido que não estavam à espera das novas medidas.

Podia começar só na segunda-feira", brincou um jovem, que acabou por ter de comer à pressa, que o restaurante fechava às 22:30.

Passada a hora limite, os portuenses dirigiram-se para casa, com a PSP a fazer a operação de fiscalização necessária. 

A ajudar as autoridades esteve o tempo, uma vez que a chuva acabou por tornar pouco apelativa a permanência na rua.

O mesmo aconteceu na cidade de Albufeira, também sujeita à limitação horária. Na localidade algarvia, que mais sofreu foram os espanhóis, que esperavam chegar a Portugal para dias de festa, mas viram-se obrigados a terminar a noite mais cedo.

Para o resto do país o cumprimento das medidas agora em vigor também foi generalizado.

Tanto a direção nacional da PSP como o comando geral da GNR afirmaram à Lusa não ter sido registada qualquer ocorrência, tendo a população, “no geral”, cumprido o recolher obrigatório que passou a vigorar nestes concelhos entre as 23:00 e as 05:00.

O número de concelhos de risco muito elevado de incidência de covid-19 aumentou esta semana de três para 19, juntando-se a Albufeira, Lisboa e Sesimbra outros 16 municípios que agora recuam no plano de desconfinamento, designadamente Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Constância, Loulé, Loures, Mafra, Mira, Moita, Odivelas, Oeiras, Olhão, Seixal, Sintra e Sobral de Monte Agraço.

O nível de risco muito elevado de transmissibilidade da covid-19 identifica os concelhos que registem, pela segunda avaliação consecutiva, uma taxa de incidência superior a 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 480 se forem concelhos de baixa densidade populacional).

Quanto aos concelhos no nível de risco elevado de incidência de covid-19, passaram a ser 26, nomeadamente Alcochete, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Avis, Braga, Castelo de Vide, Faro, Grândola, Lagoa, Lagos, Montijo, Odemira, Palmela, Paredes de Coura, Portimão, Porto, Rio Maior, Santarém, São Brás de Alportel, Sardoal, Setúbal, Silves, Sines, Sousel, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.

O nível de risco elevado aplica-se aos concelhos que registem, pela segunda avaliação consecutiva, uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade populacional).

Além destes 45 concelhos no nível de risco elevado ou muito elevado de incidência de covid-19, há 21 municípios em situação de alerta: Albergaria-a-Velha, Aveiro, Azambuja, Cartaxo, Bombarral, Idanha-a-Nova, Ílhavo, Lourinhã, Matosinhos, Mourão, Nazaré, Óbidos, Salvaterra de Magos, Santo Tirso, Trancoso, Trofa, Vagos, Viana do Alentejo, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia e Viseu.

 Na Área Metropolitana de Lisboa está ainda proibida a entrada e saída entre as 15:00 de sexta-feira e as 06:00 de segunda-feira.

António Guimarães