O Governo atualizou esta quinta-feira as medidas de contenção da pandemia de covid-19, numa altura em que a situação se começa a agravar, já com dois dias seguidos com mais de dois mil casos.

A ministra de Estado e da Presidência voltou a referir que não existem condições para dar mais um passo no desconfinamento, apelando ao cumprimento das regras por parte da população.

Desta forma, o Governo decidiu que nos concelhos de risco elevado ou muito elevado passará a existir uma limitação da circulação na via pública a partir das 23:00, vigorando até às 05:00.

O país está numa situação em que é necessário manter as regras, usar máscara, manter regras de etiqueta respiratória e higienização de mãos e se evitem aglomerados", referiu Mariana Vieira da Silva.

O mesmo é dizer que vai passar a vigorar uma limitação da circulação nos concelhos que apresentem uma incidência com duas semanas seguidas acima dos 120 casos por 100 mil habitantes ou àqueles que apresentem uma incidência de 240 casos por 100 mil habitantes.

Esta alteração foi publicada ainda esta quinta-feira em Diário da República, o que significa que as novas restrições se aplicam já a partir desta sexta-feira.

Esta restrição passa a aplicar-se em 45 concelhos do território nacional, entre os quais estão Lisboa, Porto, Almada, Loures ou Cascais.

Na prática é o regresso a uma medida que vigorou durante muito tempo no passado, um recolher obrigatório que, como salientou a ministra, se impõe meia hora depois do fecho dos estabelecimentos de restauração.

As medidas aplicam-se aos seguintes concelhos, que estão em risco muito elevado de transmissão:

  • Albufeira
  • Almada
  • Amadora
  • Barreiro
  • Cascais
  • Constância
  • Lisboa
  • Loulé
  • Loures
  • Mafra
  • Mira
  • Moita
  • Odivelas
  • Oeiras
  • Olhão
  • Seixal
  • Sesimbra
  • Sintra
  • Sobral de Monte Agraço

Aplicam-se também aos seguintes concelhos, em risco elevado de transmissão: 

  • Alcochete
  • Alenquer
  • Arruda dos Vinhos
  • Avis
  • Braga
  • Castelo de Vide
  • Faro
  • Grândola
  • Lagoa
  • Lagos
  • Montijo
  • Odemira
  • Palmela
  • Paredes de Coura
  • Portimão
  • Porto
  • Rio Maior
  • Santarém
  • São Brás de Alportel
  • Sardoal
  • Setúbal
  • Silves
  • Sines
  • Sousel
  • Torres Vedras
  • Vila Franca de Xira

LEIA TAMBÉM:

A proibição de circular de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) vai manter-se no próximo fim de semana, no âmbito das medidas restritivas de combate à pandemia de covid-19, anunciou o Governo.

No final da reunião semanal do Conselho de Ministros, em Lisboa, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, adiantou que, tal como nos dois últimos fins de semana, esta proibição vai ser aplicada entre as 15:00 de sexta-feira e as 06:00 de segunda-feira, com as exceções previstas na lei.

A Área Metropolitana de Lisboa engloba 18 municípios da Grande Lisboa e da Península de Setúbal, designadamente Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

Sem condições para controlar a pandemia

Na última semana a situação voltou a deteriorar-se em Portugal. Temos neste momento uma incidência de 176,9 e o Rt [índice de transmissibilidade] é 1,15”, disse Mariana Vieira da Silva no final da reunião semanal do Conselho de Ministros.

A ministra sublinhou que o Rt “é mais baixo do que era na semana passada, mas a incidência é significativamente mais elevada”.

Quando olhamos para a evolução da incidência, aquilo que podemos ver é uma incidência mais alta e crescente nos grupos etários dos 15 aos 29 anos, dos 30 aos 34 anos e dos 0 aos 14 anos”, precisou, dando também conta que a incidência da infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 é “alta entre os 45 e os 59 anos, mas significantemente mais baixa nos grupos etários que correspondem às idades já vacinadas”.

Mariana Vieira da Silva realçou que "isto significa que as vacinas resultam e tem os seus efeitos”.

A ministra voltou a reforçar a mensagem deixada na conferência de imprensa do Conselho de Ministro da semana passada que Portugal está numa “corrida entre o tempo da infeção e o tempo das vacinas”.

Quanto mais protegermos os níveis da incidência enquanto as pessoas possam ser vacinadas mais defendemos a situação do nosso país”, frisou.

Mariana Vieira da Silva disse também que o país está numa situação em que é necessário manter as regras de distanciamento social, evitar as situações de ajuntamento, utilizar a máscaras e manter as regras de higiene respiratória de mãos.

Não temos condições para considerar a pandemia controlada e faço um apelo a todos para que continuem a cumprir as regras e que se evitem comportamentos de risco”, afirmou.

António Guimarães