A GNR levantou uma contraordenação a uma indústria que estava a proceder a uma descarga ilegal de águas residuais num afluente do Rio Zêzere, foi hoje anunciado.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, o Comando Territorial da GNR em Castelo Branco explica que a ação foi realizada através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) da Covilhã, na segunda-feira.

 

“No decorrer de uma ação de patrulhamento, os elementos do NPA verificaram que a água da Ribeira do Corges Pequeno, afluente do Rio Zêzere, apresentava uma tonalidade leitosa e espuma branca à superfície. No decorrer das diligências policiais constataram que a descarga era proveniente de uma indústria, que efetuava a rejeição de águas residuais para a linha de água, sem o necessário título de utilização dos recursos hídricos do domínio público”, é referido.

 

Segundo acrescenta, na sequência desta ação foi elaborado um auto de contraordenação, que foi remetido para a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT), punível com uma coima que pode ascender aos 144 mil euros, em caso de negligência, e aos cinco milhões de euros, em caso de dolo.

A GNR frisa ainda que se encontra “fortemente empenhada no sentido de sensibilizar e zelar pelo cumprimento das disposições legais e regulamentares referentes à conservação e proteção da natureza e do ambiente” e lembra que a denúncia de infrações ambientais pode ser feita através da Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520).

/ BMA