O suspeito de sequestrar Margarida Simões, em Barcelona, ficou em prisão preventiva, apurou a TVI junto de fonte policial. O detido de 30 anos foi ouvido no Tribunal de Instrução Criminal do Seixal, esta quinta-feira e sexta-feira, tendo o juiz determinado a medida de coação mais gravosa. 

O homem está indiciado pelos crimes de sequestro agravado, ofensas à integridade física e violência doméstica, adiantou a Polícia Judiciária em comunicado.

Os factos foram cometidos entre o dia 19.08.2019 e o dia 21.08.2019, tendo o autor se deslocado à zona de Barcelona - Espanha, onde agrediu e coagiu a vítima, uma mulher com 25 anos de idade com quem tivera um relacionamento, obrigando-o a regressar consigo para Portugal, onde continuou a ser agredida violentamente", diz a nota de imprensa.

Esta quinta-feira, o Ministério Público tinha pedido a aplicação da prisão preventiva. 

Margarida Simões estava desaparecida desde o último domingo, em Barcelona. Nesse dia, combinou um encontro com o ex-namorado na cidade espanhola, mas acabou por ser raptada e levada novamente para Portugal.

A portuguesa terá sido mantida em cativeiro durante três dias em casa do suspeito, no Seixal. Durante o sequestro, a jovem terá sido várias vezes agredida e ameaçada de morte. Ao que a TVI apurou, a jovem terá sido mantida despida na garagem da habitação e o ex-namorado terá dito que iria ficar no local até “morrer de fome e à sede”.

Esta não foi a primeira vez que a jovem foi alvo de violência doméstica. Margarida Simões já tinha apresentado queixa, numa esquadra da PSP,  contra o ex-namorado no final de julho. Depois, fugiu para Barcelona onde estava para se afastar do ex-namorado.

Cláudia Lima da Costa