A Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) informou, esta quinta-feira, que existe um surto de covid-19 no Estabelecimento Prisional de Sintra, com 19 reclusos infetados. 

Segundo o comunicado, foram realizado testes aos 280 reclusos da Ala B, depois de terem sido detetados três casos positivos.

Todos os 19 reclusos estão assintomáticos, mas, ainda assim, foram encaminhados para o Hospital Prisional de São João de Deus, uma vez que é isso que está definido no protocolo. 

Os demais reclusos da Ala, que tiveram testes negativos, permanecem em quarentena profilática, com suspensão de atividades e sob vigilância clínica, indo repetir-se a testagem nos prazos definidos pela saúde pública", lê-se no documento. 

Ainda de acordo com DGRSP, num universo de 11.348 reclusos a nível nacional, apenas 21 testaram positivo à covid-19. Cerca de 1.221 já recuperaram da doença.

No que toca aos jovens internados em Centros Educativos, não há registo de infetados. Já entre os trabalhadores prisionais, existe atualmente um caso ativo. 

Segundo o coordenador da task-force para o plano de vacinação contra a covid-19, mais de 80% dos reclusos já estão vacinados contra a covid-19,

Tirando alguns reclusos que já foram infetados e recuperados e têm cumprido as regras, já temos 82% de reclusos [vacinados]”, disse Gouveia e Melo numa audição por videoconferência no Parlamento a pedido do PSD realizada na quarta-feira.

O vice-almirante adiantou que há dois estabelecimentos prisionais “mais atrasados”, mas que estão a ser feitos esforços no sentido de os reclusos “serem rapidamente inoculados também”.

Cláudia Évora