Já nasceu Rafael, o filho de Sandra Rocha, advogada que foi diagnosticada com cancro da mama no início da gravidez.

Sandra Rocha, 40 anos, foi mãe nesta terça-feira, depois de uma gravidez de risco devido a um cancro da mama já com metástases. No mesmo dia em que teve o primeiro filho, que nasceu saudável e com mais de 3 kg, foi operada de seguida ao cancro.

Durante todos estes meses, e apesar de descontar para a Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores (CPAS) há mais de 15 anos, esta mulher não recebeu qualquer apoio social, mesmo tendo já pago mais de 21 mil euros em contribuições à CPAS, como pode ver na reportagem exibida pela TVI no programa "Ana Leal".

Assim que soube que ia realizar o parto esta terça-feira, Sandra Rocha enviou um vídeo à TVI, onde pediu que o seu caso fosse discutido. Horas mais tarde, e já durante o debate em estúdio, a TVI conseguiu revelar a primeira imagem do pequeno Rafael.

O diagnóstico de cancro da mama surgiu pouco depois de saber que estava grávida. A situação de Sandra Rocha, garantem outros profissionais, não é caso único, mas esta mulher teve a coragem de denunciar o seu caso ao espaço de investigação da TVI coordenado por Ana Leal. Curiosamente, Rafael acabou por nascer no dia 19 de novembro, o mesmo dia em que a reportagem foi para o ar.

Quando entrou no IPO do Porto, 19 dias antes, Sandra Rocha já sabia que ia ter dois momentos decisivos para a sua vida. Pouco depois da cesariana que trouxe Rafael ao mundo, a doente oncológica teve de realizar um procedimento de remoção de células cancerígenas do tecido mamário.

Por ser profissional liberal, Sandra Rocha não tem direito a descontar para a Segurança Social, estando obrigada a ficar sob a tutela social da CPAS, órgão ao qual está obrigada a pagar 230 euros mensais, ainda que não tenha rendimento.

Reveja a reportagem realizada pela jornalista da TVI Sara Bento.