A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, confirmou esta sexta-feira a existência de 76 casos de infeção por Covid-19 na empresa de logística da Sonae, na Azambuja.

A responsável admite que esta é uma situação que preocupa as autoridades, antes de referir que "estão em curso 339 testes" naquela empresa.

A empresa tem cerca de 800 funcionários, e a Direção-Geral da Saúde está a acompanhar de perto a situação dos funcionários das restantes empresas da Plataforma Logística de Azambuja.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) defende que sejam testados cerca de 3.000 trabalhadores que fazem parte de todos os setores da Sonae na Azambuja.

Numa resposta escrita enviada à Lusa na quarta-feira, fonte da Sonae MC ressalvou que a empresa já implementou um conjunto de medidas para “minorar este problema”, nomeadamente o desfasamento dos horários dos turnos e a duplicação de autocarros que transportam os trabalhadores até ao armazém.

Apenas um terço dos nossos colaboradores usa comboios e já estamos a reforçar, há várias semanas, o serviço de autocarros”, adianta a empresa.

Além destas medidas, a Sonae está a medir a temperatura a todos os trabalhadores “antes de darem entrada em qualquer instalação dos entrepostos” e reforçou a entrega de máscaras e a higienização das instalações e veículos de transporte de mercadorias.

A Sonae é a segunda empresa da Plataforma Logística de Azambuja onde foi detetado um número significativo de casos de Covid-19.

No dia 2 de maio, a empresa de produtos alimentares Avipronto fechou provisoriamente depois de terem sido detetados 38 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus entre os funcionários.

Após os 300 funcionários terem sido testados, foram detetados 101 casos positivos.

Entretanto, aquela companhia retomou no dia 11 a laboração com cerca de 30 trabalhadores, divididos em dois turnos.

Na zona industrial Vila Nova da Rainha/Azambuja operam cerca de 230 empresas empregando um total aproximado de 8.500 trabalhadores, muitos dos quais utilizam o comboio.

Em Portugal, morreram 1.289 pessoas das 30.200 confirmadas como infetadas, e há 7.590 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

António Guimarães / com Lusa