Os inquéritos às celebrações pascais, relacionadas com o “beijar da cruz” em Vila Verde e Vila Nova de Famalicão, no distrito de Braga, foram arquivados, confirmou esta quinta-feira à Lusa a Procuradoria-Geral da Republica (PGR).

Na informação, remetida à Lusa, a PGR salientou que às averiguações em causa “foi oportunamente proferido despacho de arquivamento”.

Em abril, a GNR remeteu ao tribunal o caso de uma mulher que, no Dia de Páscoa, deu a cruz a beijar a cerca de 10 pessoas numa rua em Vermoim, em Vila Nova de Famalicão.

Esta celebração pascal, além de beijos na cruz, envolveu ainda champanhe, explicou, na altura, esta força policial.

Num vídeo que acabou divulgado nas redes sociais, vê-se uma mesa colocada na rua e a mulher a dar uma cruz a beijar.

Uma vizinha foi chamada a juntar-se ao convívio e mostrava alguma renitência em aproximar-se, mas alguém disse "estamos separados, ninguém vê".

Outra pessoa alertou que alguém estava a filmar o momento.

Deixa estar a filmar. Tem de estar a um metro", atirava outro presente no local.

Já em Vila Verde, um centro social publicou um vídeo na sua página de Facebook, entretanto removido, onde se veem os idosos a beijar a cruz.

Em Portugal, morreram 1.679 pessoas das 47.765 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

/ AG