O concelho do Porto regista, esta segunda-feira, o terceiro dia consecutivo sem novos casos de infeção por Covid-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). Os dados apresentados mostram que estão confirmados 1.347 casos na cidade invicta no boletim de 25 de maio, o mesmo número referido no balanço de 23 de maio.

Estes números apontam para uma estabilização da doença naquela autarquia, que chegou a ser a mais afetada, estando agora em terceiro lugar, com quase metade dos casos registados em Lisboa (2.182). O segundo concelho mais afetado é Vila Nova de Gaia, com 1.552 casos.

Com efeito, a variação mostra que foram registados apenas 113 novos casos desde o início do mês de maio no Porto, um concelho que chegou a confirmar mais de 50 casos por dia.

Mas se olharmos para os dados nacionais, é possível concluir que toda a região Norte, que teve o primeiro foco de infeção do novo coronavírus em Portugal, já atingiu um ponto de estagnação. Em sentido contrário, Lisboa e Vale do Tejo têm concentrado grande parte dos novos casos na última semana. Segundo a DGS, foi nesta região que surgiram cerca de 80% dos novos casos de Covid-19 na última semana.

Apesar de o surto aparentar estar controlado, a região Norte continua a ser aquela que tem mais casos confirmados (16.699), contra 9.567 na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Especialistas apontam que a doença Covid-19 entrou em Portugal pelo Norte por causa da forte atividade industrial, que promoveu grande contacto entre empresários daquela região e o norte de Itália, uma das zonas mais fustigadas pelo novo coronavírus.

Setores como o calçado e o têxtil marcaram presença na semana da moda de Milão, nos meses de fevereiro e março, e as autoridades de saúde portuguesas acreditam que essa terá sido a origem do surto na região Norte.

Portugal tem um total de 1.330 óbitos registados por Covid-19, num conjunto de 30.788 casos de infeção.

António Guimarães