O número de mortes por Covid-19 em Portugal subiu para 657 nas últimas 24 horas, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS), nesta sexta-feira. São mais 28 mortos do que no balanço anterior, um aumento percentual de 4,5%.

O relatório, com dados atualizados até às 24:00 de quinta-feira, indica que a região Norte continua a ser a que regista o maior número de mortos (377), seguida do Centro (148), da região de Lisboa e Vale Tejo (119) e do Algarve, com nove mortos. 

O número de óbitos registados nos Açores mantém-se nos quatro.

Das mortes registadas, 433 tinham mais de 80 anos, 135 tinham idades entre os 70 e os 79 anos, 61 entre os 60 e os 69 anos, 18 entre os 50 e os 59 anos e oito entre os 40 e os 49 anos.

Boletim DGS de dia 17 de abril by TVI24 on Scribd

O número total de infetados situa-se agora nos 19.022, mais 181, o que representa uma subida de 0,96% face a quinta-feira. O número de infetados na Madeira e nos Açores mantiveram-se inalterados (102 e 53 respetivamente).

Quanto ao número de casos recuperados subiu de 383 para 519, ou seja 136 pessoas. 

O número de doentes internados desceu de 1.302 para 1.284, destes estão na Unidade de Cuidados Intensivos 222, menos sete pessoas face a quinta-feira. 

Globalmente, há em Portugal 11.240 mulheres infetadas pelo novo coronavírus e 7.782 homens.

Desde o dia 1 de janeiro, registaram-se 158.940 casos suspeitos, dos quais 4.805 aguardam resultado dos testes.

Há 135.113 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados subiu para 519, mais 26 do que na quinta-feira.

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 11.324, mais 87 face ao dia anterior, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo, com 4.302 (mais 65), da região Centro, com 2.778 (mais 22), do Algarve com 305 (mais cinco) e do Alentejo com 158 casos (mais dois).

A DGS regista também 25.456 contactos em vigilância pelas autoridades de Saúde, menos 609 do que na quinta-feira (-2,3%).

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 50 aos 59 anos (3.306), seguida da faixa dos 40 aos 49 anos (3.296), dos 30 aos 39 anos (2.649) e dos 60 aos 69 anos (2.341).

Há ainda 2.877 doentes com idades acima dos 80 anos e 1.731 entre os 70 e os 79 anos.

A DGS regista ainda 332 casos de crianças até aos nove anos, 487 de jovens com idades entre os 10 e os 19 anos e 2013 casos de pessoas com idades entre os 20 e os 29 anos.

Segundo o relatório da Direção-Geral da Saúde, 171 casos resultam da importação do vírus de Espanha, 128 de França, 81 do Reino Unido, 45 da Suíça, 46 dos Emirados Árabes Unidos, 32 Andorra, 29 Itália, 30 Brasil, 23 dos Estados Unidos, 18 da Argentina, 19 dos Países Baixos, 15 da Austrália e 10 da Alemanha, além de diversos outros casos distribuídos por dezenas de outros países.

Tosse e febre continuam a ser os sintomas mais frequentes (53% e 358% respetivamente), seguindo-se as dores musculares (27%), cefaleia (25%), fraqueza generalizada (21%) e dificuldade respiratória (16%). Esta informação refere-se a 85% dos casos confirmados.

Cláudia Évora / Atualizada às 13:31