O doutor Paulo Cortes, médico oncologista, foi convidado esta sexta-feira para desvendar alguns dos mitos relativos ao cancro da mama masculino.

O especialista começou por afirmar que apenas 1% dos casos de cancro da mama são do sexo masculino, no entanto defende que a ocorrência de qualquer alteração na mama deve ter o acompanhamento de um médico.

Os homens não têm a devida preocupação com o peito, mas têm de estar atentos ao aparecimento de um nódulo ou a uma alteração do mamilo", afirma o médico.

Paulo Cortes disse ainda que o diagnóstico do cancro da mama no sexo masculino não tem um pior prognóstico.

Na realidade, no homem o prognóstico é igual à mulher. O problema é a desvalorização do problema, o que faz com que os casos no sexo masculino muitas vezes sejam identificados numa fase demasiado avançada", alertou o médico oncologista.

Uma desvalorização que foi recentemente admitida pelo cantor Marco Paulo que, em entrevista no Jornal da Uma da TVI, revelou que sofre de cancro da mama. Quando descobriu um caroço abaixo do mamilo,  pensou que "aquilo, infelizmente, era só um assunto das senhoras".

 

Paulo Cortes afirmou que um homem diagnosticado com cancro da mama deve efectuar um estudo genético, porque há uma possibilidade grande de que esse homem tenha uma alteração nos genes.

A questão da genética é muito importante e um homem que tem cancro da mama, também pode vir a ter cancro da próstata", disse.

Existe maior risco de cancro na mama masculino em casos de obesidade, de consumo excessivo de bebidas alcóolicas e em casos de remoção testicular.

  
/ HCL