A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar as circunstâncias que levaram à morte de cinco pessoas da mesma família numa casa no concelho de Sabrosa, este domingo. As vítimas são um casal, com 44 e 54 anos, duas crianças, de 9 e 14 anos, e um tio, irmão do homem, de 48 anos.

As vítimas morreram intoxicadas numa casa modesta, na aldeia de Fermentões. 

O alerta foi dado pouco depois das 16:30, mas o incidente terá acontecido durante a noite

Numa primeira fase, quer a PJ quer o INEM apontaram para a presença de monóxido de carbono na habitação.

A TVI apurou que esta habitação não tinha água nem luz e ainda estava a ser construída pela família, que só a usava aos fins de semana. O casal era caseiro numa quinta no Douro, onde vivia com as filhas.

A eletricidade era fornecida através de um gerador que estava no interior da habitação e que pode ter estado na origem da tragédia. As obras na casa estavam praticamente concluídas e só faltava a EDP fazer a ligação da eletricidade.

O presidente da câmara, Domingos Carvas, mostrou-se surpreendido com a existência de um gerador dentro da casa, pelo “gás que liberta" e “até ao cheiro incomodativo a gasolina”.

As investigações vão decorrer nas próximas horas. 

As autópsias serão feitas ainda durante esta segunda-feira e serão essenciais para se apurar as circunstâncias desta tragédia.

Após o alerta, foi, de imediato, disponibilizado apoio psicológico para familiares e amigos.