A Câmara de Almada anunciou hoje que pediu uma reunião com “caráter de urgência” ao Ministério da Saúde sobre a situação do Hospital Garcia de Orta (HGO), salientando que têm de ser encontradas soluções para a urgência pediátrica, que vai fechar portas à noite a partir do próximo dia 18.

A Câmara Municipal de Almada tem mantido contactos regulares com o conselho de administração do HGO, demonstrando a sua preocupação e afirmando a necessidade imperiosa de serem encontradas ações concretas para a manutenção desta resposta pública na área da saúde”, refere a autarquia, liderada pela socialista Inês de Medeiros, em comunicado.

No documento, a câmara do distrito de Setúbal acrescenta ter recebido informações de que o “prolongado encerramento noturno da urgência pediátrica não se confirma”, estando a ser analisadas hipóteses para solucionar os problemas existentes.

A autarquia refere que já pediu uma reunião com caráter de urgência à tutela, na procura de soluções para um problema que “tanto afeta a vida dos almadenses”.

A Câmara Municipal de Almada teve oportunidade de reforçar junto do conselho de administração do HGO a sua total disponibilidade para colaborar neste processo dentro, naturalmente, dos limites das suas competências e responsabilidades”, frisa.

Já o presidente da Câmara do Seixal afirmou à Lusa que a ministra da Saúde deve procurar soluções para que a urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta funcione em pleno, rejeitando qualquer possibilidade de encerramento.

Em vez de se pensar se a urgência pediátrica do Garcia de Orta encerra à noite ao fim de semana ou também durante a semana, o que se devia pensar era em soluções para não encerrar em nenhum período”, disse Joaquim Santos.

O autarca referiu que as populações não podem ficar sem um serviço “importante e de referência.

A ministra da Saúde [Marta Temido] deve estar muito preocupada e deve tomar todas as diligências para manter a urgência pediátrica aberta. A hipótese que surgiu hoje de seis meses de encerramento no período noturno é impensável”, defendeu.

Joaquim Santos frisou que vai solicitar uma reunião urgente junto do Ministério da Saúde.

Já tínhamos reunido sobre esta questão, informaram-nos que iam tomar medidas, mas o que acontece é que o problema se agravou. Têm de ser encontradas soluções que não passem pelo encerramento”, reiterou, acrescentando que o ofício vai ser enviado em breve.

O autarca eleito pelo PCP disse ainda que reuniu hoje com a Comissão de Utentes do Seixal, que lhe transmitiu que a urgência pediátrica ia passar a encerrar todas as noites a partir de 18 de novembro.

O que me informaram é que pretendem efetuar uma vigília de protesto no dia 18 de novembro, em que conto estar presente em solidariedade. Disseram ainda que a unidade de cuidados intensivos da pediatria do Hospital Garcia de Orta está encerrada há três meses, algo que desconhecia”, salientou.

Joaquim Santos lembrou ainda a importância de se avançar na prática com a construção do hospital do Seixal, considerando que esta nova unidade vai “aliviar” o Hospital Garcia de Orta.