Cerca de 70 utentes e 18 funcionários de um lar de idosos em Braga estão em quarentena, como forma de conter a propagação de Covid-19, depois de a doença ter sido confirmada em duas pessoas que estavam nas instalações. Nem todos os funcionários estão em quarentena dentro das instalações. Alguns estão em isolamento nas suas próprias casas. 

O isolamento foi aplicado esta segunda-feira, depois de uma utente do lar ter morrido com o novo coronavírus. A vítima, de 95 anos, terá sido infetada por uma das assistente operacional da área da saúde a trabalhar no estabelecimento.

A profissional foi diagnosticada com Covid-19 a 11 de março, e terá avisado de imediato o lar. Segundo a família da idosa que morreu, a administração terá desvalorizado o caso, e a utente ficou na instituição.


A idosa acabou por ser levada pelo lar para o Hospital de Santo António, no Porto, a 17 de março, onde foi sujeita a uma análise de despiste. Terá regressado nesse mesmo dia, e a dia 19 foi diagnosticada com a doença. 


Acabou por ser encaminhada para o hospital de Braga, onde chegou já com várias complicações respiratórias, segundo a famíia revelou à TVI. A mulher acabaria por morrer a 21 de março.

A cerca de dois quilómetros dali, no Asilo de São José, há um utente de 85 anos hospitalizado e há mais 10 utentes com febre alta, que estão em isolamento. 

Pedro Reis António Guimarães / MM - Notícia atualizada às 13:01