A presidente da Junta de Freguesia de Arroios disse este sábado à TVI que o esforço de um cidadão impediu que várias pessoas saltassem para fugir ao incêndio que durante a noite desta sexta-feira deflagrou num prédio na Rua Morais Soares, em Lisboa.

Margarida Martins afirmou que, “graças a uma pessoa que estava aqui”, ex-bombeiro, e que aconselhou as pessoas a não saltarem porque os bombeiros estavam a chegar.

Se não tivesse feito isto, diz a governante, “a desgraça teria sido maior”. Pelo menos duas pessoas saltaram do prédio no seguimento do incêndio que fez dois mortos e onze feridos.

Em entrevista à TVI, este cidadão contou que “ouviu pessoas a gritar e um homem a saltar do quarto andar”. 

A presidente da Junta diz ainda que a maior parte das pessoas já foram realojadas e que o processo está em curso com o apoio da Santa Casa da Misericórdia, da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal - mais especificamente com o vereador Miguel Gaspar.

O fogo, que provocou dois mortos e onze feridos, deflagrou no vão das escadas, em circunstâncias ainda por apurar, tratando-se de um edifício com interior em madeira.

As chamas entraram nas habitações pela porta de entrada das casas.

Segundo uma avaliação preliminar, o R/C, onde se encontra um supermercado, e o primeiro andar sofreram poucos danos, ao contrário do segundo, terceiro e quarto andares.

No local estiveram cerca de 80 operacionais e 40 viaturas.

Hugo Pedro Capela / HCL