A GNR vai reforçar o patrulhamento terrestre em todo o país, a partir das 20:00 desta quinta-feira. A iniciativa tem como objetivo prevenir os incêndios florestais, dadas as elevadas temperaturas previstas para os próximos dias. O risco de incêndio estará muito elevado. Também a Autoridade Nacional De Proteção Civil (ANPC) apela para que a população tenha tolerância zero com o uso de fogo em espaços rurais.

O Comandante Operacional Pedro Nunes fez “um pedido especial”, sobretudo à população das zonas mais rurais do pais, para que adiem “todos os trabalhos agrícolas que envolvam o manuseamento do fogo”, advertiu, em declarações esta tarde à agência Lusa na sede da ANPC em Carnaxide.

Pese embora já estarmos em outubro, continuamos a viver um período sem precipitação e sem precipitação o risco de incêndio aumenta. Esta ausência de precipitação não permite que as atividades tradicionais do mundo rural recorrendo ao uso do fogo possam ser feitas de forma segura”.

O responsável da ANPC referiu que estas proibições devem vigorar pelo menos até ao dia 15 de outubro, data para a qual foi alargado o período crítico, acrescentando que nos últimos dias o quadro meteorológico é de uma “corrente de leste, com pouca humidade relativa, acompanhada de vento quente e seco, situação que “influencia os materiais combustíveis”.

Relativamente aos distritos mais críticos, Pedro Nunes destacou os de Viana do Castelo, Braga, Porto e Aveiro, que estão em alerta laranja.

Quando ao reforço do patrulhamento da GNR, este prolonga-se até domingo e vai ser feito em coordenação com os meios de vigilância aéreos, adianta a Guarda, em comunicado.

Através das suas valências de Proteção da Natureza e Ambiente, territorial, investigação criminal, bem como do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), será intensificada a vigilância nas zonas de maior risco de incêndio.

A GNR relembra que o período crítico no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios foi prorrogado até 15 de outubro, precisamente devido às condições meteorológicas excecionais.

Medidas preventivas e o que é proibido fazer

É necessário continuar a adotar as medidas e ações especiais de prevenção de incêndios florestais. A Guarda vai, por isso, sensibilizar a população para as proibições nos espaços florestais e agrícolas em fazer queimas ou queimada, fumar, fazer lume ou fogueiras e lançar foguetes e balões de mecha acesa.

Até 15 de outubro é ainda proibido fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas, e a circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de faúlhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.

Durante o reforço do patrulhamento, a GNR vai também transmitir à população para que ligue de imediato para o 112, em caso de incêndio, transmitindo de forma sucinta e precisa a localização, a dimensão estimada e a forma de acesso mais rápida ao local, e contactem de imediato as autoridades, se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco.