Depois de algumas dúvidas levantadas quanto à segurança da plataforma de recolha dos Censos 2021, o Instituto Nacional de Estatística (INE) decidiu suspender o contrato que tinha com a Cloudflare, uma empresa norte-americana que prestava ao INE serviços relacionados com "desempenho e segurança" dos servidores.

Em comunicado, o INE garante que "a plataforma de recolha dos Censos 2021 é segura", no entanto, tendo sido contactado pela Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD), "que suscitou dúvidas relativamente ao enquadramento jurídico da subscrição de serviços de desempenho e segurança no âmbito da operação censitária com a empresa Cloudflare, decidiu o INE suspender totalmente a subscrição destes serviços para que não subsistam quaisquer dúvidas no âmbito da segurança da informação".

Esta alteração "não irá afetar a segurança do site do Censos 2021, continuando a ser assegurada a total proteção dos dados pessoais", garante o INE.

A forma de resposta pela população não será igualmente afetada, mas poderá ocorrer uma diminuição da rapidez de acesso ao site de recolha dos Censos", avisa o instituto.

Algumas publicações nas redes sociais levantaram dúvidas quanto aos serviços da Cludflare, acusando o INE de alojar os dados nacionais nos EUA e de pôr em causa a privacidade dos cidadãos. O INE já tinha desmentido categoricamente estas acusações, garantindo que os dados são tratados anonimamente e que não há alojamento de dados fora do instituto.

O trabalho da Cloudflare passa, aliás, por garantir a segurança dos servidores, protegendo-os de ataques de piratas informáticos.

Apesar de anunciar a suspensão do contrato com esta empresa, o INE reafirma que "esta opção de recolha – ou seja, a resposta pela internet – é a mais adequada, em particular face ao momento que estamos a viver de saúde pública".

O instituto sublinha que "as opções tecnológicas de segurança da informação na recolha de dados no site dos Censos 2021 foram auditadas pelo Gabinete Nacional de Segurança (GMS)/Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS)" e reafirma que "a sua abordagem respeita os requisitos de segurança e constitui a melhor opção para o sucesso da operação em tempo útil, desempenho dos serviços e face às ameaças globais expectáveis".

A plataforma de recolha dos Censos 2021 é segura, assim como as restantes opções tecnológicas do mesmo âmbito em toda atividade do INE", garante.

O Censos 2021 ainda está a decorrer e as pessoas podem responder até 3 de maio.

Maria João Caetano