Portugal não está a equacionar a dispensa do uso de máscara por pessoas vacinadas, garantiu, neste sábado, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Lacerda Sales.

Tomámos a decisão de, mesmo após vacinação, manter a máscara, manter distanciamento e, portanto, manter as diretrizes da Direção-Geral da Saúde (DGS)”, afirmou António Lacerda Sales,  nas Caldas da Rainha, considerando não haver “ainda robustez científica naquilo que é a possibilidade de transmissibilidade [do vírus], nomeadamente nos assintomáticos”.

Os Estados Unidos anunciaram na quinta-feira que vão acabar com a obrigatoriedade do uso de máscaras para pessoas vacinadas, incluindo em alguns ambientes fechados, devido à evolução favorável do combate à pandemia.

O que há de robustez em termos científicos é que há uma imunogenicidade, por assim dizer, contra doença grave”, sublinhou Lacerda Sales. 

O que o Governo recomenda é que “se mantenha o distanciamento, que se mantenha a máscara”, apontou Lacerda Sales, acreditando que serão “as indicações nos próximos tempos". No entanto, admitiu que os procedimentos “possam vir a ser adaptados e adequados a novas normas”, com a evolução dos conhecimentos científicos em relação à covid-19.

/ CM