Os primeiros testes realizados a 20 utentes do lar São José, em Ílhavo, onde morreu uma idosa infetada com o novo coronavírus, permitiram diagnosticar mais 13 casos positivos de Covid-19, informou esta sexta-feira fonte da instituição.

Estes utentes durante o dia de ontem [quinta-feira] estiveram estáveis e sem ocorrências de relevo. Estes 13 utentes encontram-se na ala de isolamento. Todos os familiares foram contactados para comunicar a situação”, disse o diretor do lar, Luís Oliveira, numa nota publicada na página da instituição na rede social Facebook.

Na quarta-feira, ao fim da tarde, foram rastreados os primeiros 20 utentes do lar, tendo os restantes 34 utentes realizado os testes de despistagem de C*vid-19 na quinta-feira.

Luís Oliveira diz que espera conhecer esta sexta-feira os resultados dos testes realizados ao segundo grupo de utentes para definir o que se vai fazer no imediato.

O facto de aparecerem resultados positivos em utentes sem qualquer sintoma, autónomos, que circulam pela instituição, faz com que nos tenhamos que preparar para mais casos”, adianta o responsável.

Esta sexta-feira vão ser também realizados testes aos colaboradores da instituição.

A primeira vítima mortal do lar foi uma mulher de 85 anos que morreu na terça-feira, depois de ter sido transportada para o Hospital de Aveiro onde lhe foi diagnosticada a doença.

Na terça e quarta-feira foram transportados para o Hospital de Aveiro dois utentes que também foram diagnosticados com covid-19.

Neste momento, permanecem no lar 54 utentes, a maioria dos quais com idades acima dos 80 anos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 51 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Portugal regista esta sexta-feira 246 mortes associadas à Covid-19, mais 37 do que na quinta-feira, e 9.886 infetados (mais 852), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março, tendo a Assembleia da República aprovado na quinta-feira o seu prolongamento até ao final do dia 17 de abril.

/ CE