É mais uma acha na fogueira da polémica em torno da Câmara Municipal de Lisboa: Rui Pinto criticou, esta quarta-feira, o envio de informações confidenciais à Rússia e sugere que esta não foi a primeira vez.

O hacker lançou a farpa numa publicação no Twitter, que respondia à notícia do Expresso:

Recorde-se que a Câmara de Lisboa enviou para a Rússia dados de três manifestantes que participaram numa manifestação anti-Kremlin.

Entretanto, a Câmara de Lisboa anunciou que alterou os procedimentos internos para manifestações por forma a salvaguardar dados pessoais de manifestantes, após uma queixa de ativistas russos que viram os seus dados partilhados com a Embaixada da Rússia.

"Foram alterados os procedimentos internos desde 18 de abril e, nas manifestações subsequentes para as quais foi recebida comunicação (Israel, Cuba e Angola) não foram partilhados quaisquer dados dos promotores com as embaixadas", justificou a CML em comunicado.

O caso dos ativistas russos reporta-se a 18 de janeiro, quando foi pedida autorização para uma concentração em solidariedade com o opositor russo Alexei Navalny, detido na Rússia, com vista à sua libertação.

Rafaela Laja